Podemos destacar que as tendências de marketing digital para o ano de 2022 apontam para um futuro com diversas oportunidades. Existem novas tecnologias, mudanças dentro do mercado publicitário, diversas questões sociais e ambientais que devem ser exploradas dentro do mercado.

2022 é o ano da Copa do Mundo e das eleições, e promete impulsionar as redes sociais como nunca antes. Este é o ano em que é esperado vencer a pandemia de coronavírus, mesmo que a situação permaneça um pouco imprevisível. Este é também o ano em que a tecnologia de dados, a inteligência artificial e o chamado metaverso nos trarão.

O ano deve trazer diversas mudanças. Porém, vamos começar a analisar as principais tendências em que sabermos como nos preparar da melhor forma.

Vamos lá?

1. Experiências híbridas

2020 foi o ano de pandemias e de distanciamento social. O aumento de casos e mortes em 2021 nos assusta, porém, a vacinação foi algo que trouxe alívio e esperança.

A cena ainda é instável. Os pesquisadores da área da saúde ainda não tem a certeza sobre como serão os próximos meses. Mas já experimentamos um resfriamento da pandemia, que aproximou nossas vidas do que éramos antes de março de 2020.

Com a recuperação, experiências híbridas ajudarão as pessoas a enfrentar a realidade que o mundo vive atualmente.

De acordo com uma pesquisa de Cursos Online, mais de 75% dos executivos globais pretendem aumentar seus investimentos em experiências híbridas nos próximos anos, impulsionados pela possibilidade de personalização, inovação, conexão e inclusão do cliente. Porém, tudo vai exigir investimento em infraestrutura, o que continua sendo um desafio, principalmente para todas as empresas de menor poder econômico.

2. Adaptação à era sem cookies

Ao longo do ano de 2021, há um tema que está dentro do marketplaces digital: o fim dos cookies. O Google Chrome anunciou a mudança, e a Apple e outros navegadores tendem a seguir esse mesmo caminho.

Ainda em janeiro de 2020, o Google anunciou que deixaria de fornecer esses dados às empresas, processo que terminaria em 2022. E o Google anunciou que o processo continuará até o ano de 2023.

Apoiando o modelo de internet gratuita que temos hoje estão os cookies de terceiros. Empresas como Google e Facebook capturam dados de usuários e os oferecem aos anunciantes para que eles possam entender melhor sobre os seus consumidores e segmentar e adaptar todas as suas estratégias dentro da publicidade.

3. Conteúdo baseado em dados

Há muita discussão sobre o uso de dados, especialmente quando se pensa em proteção e privacidade. Mas isso não significa que o big data deixará de existir ou que a inteligência de negócios deixará de se concentrar em dados infinitos sobre os seus usuários e consumidores.

Dentro do marketing de conteúdo, 2022 deve trazer o desafio de integrar dados à produção de conteúdo para torná-lo mais informativo e relevante.

Para isso, é fundamental sair do frenesi de fazer os devidos posts e e-books. O marketing tem o poder de atrair consumidores e aumentar uma grande visibilidade dos negócios, principalmente dentro da busca orgânica. Isso tem levado diversas marcas a criarem um materiais totalmente superficiais e sem relevância alguma. A internet está cheia de publicações desse tipo.

4. Custo-benefício de marketing de conteúdo e SEO

A pandemia trouxe diversos desafios financeiros para as empresas e consumidores, diante dessa incerteza, é hora de conter os gastos.

Mesmo que o consumo tenha melhorado, quando se trata de compras online, o ambiente econômico dentro do Brasil continua desfavorável, com o dólar e a inflação em patamares elevados. As eleições em 2022 tendem a trazer mais instabilidade dentro da política e da economia.

Por conta disso, o marketing deve ficar atento à economia, à alta de preços e aos hábitos de consumo de todos os brasileiros, que vai afetar o fluxo de caixa da empresa. Até 2022, essa situação poderá impactar os investimentos em marketing e publicidade.

5. Alterações nos fluxos de vídeo

Há alguns anos, as tendências de marketing digital apontavam um poder dentro do vídeo na internet. A tendência não apenas se consolidou dentro dos sites, blogs e redes sociais, porém também trouxe diversos novos formatos que tendem a se fortalecer.

6. Streaming

Um estudo mostrou que diversos usuários de internet usam um serviço de TV paga ou streaming de vídeo “na última semana”. Desses, 65% assistem mais de duas horas ou mais de conteúdo pago por dia.

7. A evolução do comércio social

Passamos a maior parte do nosso dia nas redes sociais. As pessoas tendem a usar as plataformas para interagir com os seus amigos, seguir pessoas que admiramos, acompanhar as notícias ao redor do mundo, mostrar momentos de nosso dia a dia e comprar novos produtos.

8. Influenciadores

Se você está tentando compreender como os influenciadores digitais têm tanto poder, é chegada a hora de se atualizar no objetivo de acompanhar os novos perfis de influenciadores.

O marketing de influenciadores não é novidade. Os influenciadores promovem produtos e vinculam suas imagens a marcas há anos. Muitas empresas aprofundaram o relacionamento transformando os influenciadores em embaixadores, que se tornam o rosto das marcas em parcerias de longo prazo.

9. Diversidade e Inclusão no Marketing

Podemos destacar que trabalhar com diversidade e inclusão é um compromisso que o marketing pode assumir. Cursos Online Gratuitos alertam que as marcas tendem a desenvolver o conceito de Marketing 3.0. Os consumidores não querem mais apenas comprar, eles querem que você defenda uma causa, se comprometa com o planeta e tenha um impacto positivo dentro da sociedade.

10. Explore o Metaverso

Por fim, vamos falar de algo que vem gerando diversas discussões dentro do mercado digital e até mesmo destaque no Fantástico: Metaverso.

O conceito foi criado pelo Mark Zuckerberg ele trouxe o termo para conversas ao redor do mundo. No ano de 2021, o criador do Facebook anunciou que a empresa teria um novo nome: Meta, em alusão ao metaverso.