Independentemente do que uma empresa está tentando alcançar, o processo de gerenciamento de riscos deve ser parte integrante de todas as atividades da organização, incluindo a tomada de decisões em todos os níveis.

Isso ocorre porque o risco é inerente ao negócio. Mesmo que o produto ou serviço oferecido seja diferenciado, a marca seja forte e o planejamento seja exemplar, ainda existem lacunas.

Finalmente, os controles internos por si só não são suficientes. Há também eventos externos que podem afetar adversamente as operações e o desempenho da empresa.

Para determinar a melhor forma de lidar com as adversidades, você precisa de uma gestão de riscos sistemática, inteligente e integrada.

O que é a gestão de riscos?

O gerenciamento de riscos é um conjunto coordenado de atividades destinadas a gerenciar e controlar uma organização em relação a ameaças potenciais, independentemente de seu desempenho.

Trata-se de planejar e utilizar recursos humanos e materiais para minimizar ou solucionar riscos. 

Essa é uma estratégia que envolve medidas preventivas para antecipar possíveis cenários e incorporar práticas aos processos da empresa.

Também inclui agir de maneira prescrita, ou seja, quando os riscos ocorrem de forma imprevisível. 

Nesse contexto, a gestão de riscos visa estimular as empresas a agirem de forma dinâmica, a fim de reagir rapidamente a eventos, incertezas e mudanças de cenários.

Para isso, um bom sistema de monitoramento deve ser estabelecido para todas as figuras e eventos relevantes envolvendo a organização. O objetivo final é sempre a melhoria contínua dos processos da empresa.

E o que são esses riscos?

Um risco é um evento ou condição incerta que, se ocorrer, terá um impacto negativo ou positivo em um ou mais objetivos. Esses riscos podem ser vistos como ameaças ou oportunidades.

Oportunidade significa simplesmente que o risco calculado pode dar a um produto ou organização uma vantagem competitiva.

O conceito de risco leva em consideração a probabilidade e a frequência de sua possível ocorrência e a gravidade de suas consequências.

Quais os tipos de riscos?

O risco econômico é o risco que afeta diretamente o fluxo de caixa de uma empresa, ameaçando o capital de giro e o patrimônio líquido. A perda da saúde financeira é um problema que afeta diferentes organizações em diferentes setores.

Por exemplo, podemos citar o risco de dívida quando o nível geral de inadimplência é bastante alto em relação aos ativos e recursos gerais da organização. E o risco de liquidez é outro cenário comum no contexto de conversão de investimentos em rentabilidade.

Para lidar com os riscos econômicos, é importante gerar relatórios personalizados regularmente. Isso permitirá que os gerentes tenham maior controle e uma visão mais precisa do cenário econômico geral da empresa.

O risco operacional refere-se ao risco de uma empresa sofrer perdas significativas devido à falha de sistemas, processos, pessoas, operações e influências externas.

Um bom exemplo das armadilhas associadas a essa classificação é quando uma empresa evita fazer backups regulares de documentos importantes para o negócio. Essa falha pode parecer pequena, mas se a empresa perder esses documentos, algo dá errado.

Eles são especialmente perigosos quando falhas operacionais geram retrabalho e destroem metas e cronogramas. Isso muitas vezes resulta em perdas devido a atrasos no processo.

Um meio importante de lidar com essas ameaças é a padronização e integração de procedimentos operacionais.

O risco legal é um dos mais perigosos e inclui todas as ameaças às quais as empresas são vulneráveis ​​por não cumprirem as leis existentes.

Incompreensão de dispositivos legais, fiscalização desordenada de obrigações e operações fraudulentas são algumas das possíveis causas de perdas financeiras decorrentes de riscos jurídicos.

Dada a gravidade desses riscos e a magnitude das perdas, sua gestão é fundamental para o sucesso de qualquer negócio e/ou investimento. Investir em um programa de gestão de riscos e compliance é uma forma de evitar ou antecipar riscos legais.

Quais as vantagens de estudar gestão de riscos?

Aumentar a probabilidade de atingir os objetivos, melhorar a identificação de oportunidades e ameaças, melhorar a governança, aumentar a confiança das partes interessadas, aumentar a eficiência e eficiência operacional, apoiar o desempenho em saúde, segurança e proteção ambiental, estabelecer uma base confiável para tomada de decisões e planejamento, ter os requisitos de padrões internacionais e leis e regulamentos relevantes, melhorar o aprendizado organizacional e reduzir perdas.

Qual o objetivo da gestão de riscos?

Uma boa gestão de riscos garantirá que os tomadores de decisão tenham acesso às informações pertinentes aos riscos enfrentados pela organização, além de melhorar o alcance dos objetivos da empresa, reduzindo objetivos e controlando situações adversas.

Além disso, a gestão de riscos agrega valor a uma organização no sentido de melhorar os processos corporativos e abordar adequadamente os riscos e os impactos negativos decorrentes de sua ocorrência, melhorando o desempenho, a eficácia e o relacionamento com as partes interessadas.

Com isso, agora você sabe quais são as vantagens de estudar gestão de riscos e ademais, o que é e quais os tipos que existem.