Meio Ambiente

MMA lidera ações para preservar o litoral

Estudo desenvolvido em parte do litoral catarinense será apresentado durante curso

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) promoverá a integração entre órgãos de governo e universidades para diminuir a vulnerabilidade do litoral brasileiro aos efeitos do aquecimento global. Ocorrerá, nesta terça-feira (24/11), em Brasília, o curso “Gestão de Riscos às Mudanças do Clima em Zona Costeira”. O objetivo é apresentar os resultados de estudos já desenvolvidos aos gestores convidados para participar e, com isso, fomentar parcerias para fortalecer medidas nessa área.

 

Bombinhas: uma das praias pesquisadas

No encontro, será apresentado o estudo piloto desenvolvido em parte do litoral catarinense, entre as praias de Piçarras e Bombinhas. Financiado pelo Fundo Nacional sobre Mudança do Clima (Fundo Clima), o projeto analisa a região e é desenvolvido pelo Instituto de Hidráulica da Cantábria (IHC/Espanha), com a participação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).  Com o curso, a intenção é induzir uma discussão com os governos dos Estados costeiros no sentido de desenvolver novas ações de adaptação.

INUNDAÇÃO

O estudo “Geração e integração dos bancos de dados de séries climáticas históricas e projeção de mudanças do clima para gestão de riscos costeiros no estado de Santa Catarina” identifica a cota de inundação da região. A partir da análise da dinâmica do local, o levantamento inclui os possíveis impactos de erosão e inundação, decorrentes das variações de cenários de mudanças do clima para os próximos 50 e 100 anos.

A iniciativa faz parte do projeto “Desenvolvimento Sustentável Brasileiro e sua Integração com a América do Sul“, do MMA e da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe das Nações Unidas (Cepal). A expectativa é que a cooperação produza um mapeamento dos demais estados costeiros do País.

SAIBA MAIS

As zonas costeiras são regiões bastante ameaçadas pelas mudanças do clima. Entre os riscos, há a elevação do nível do mar e o aumento da freqüência de eventos extremos, além da erosão e inundação, a intrusão salina e o comprometimento dos recursos naturais e da biodiversidade. A estimativa dos valores materiais potencialmente em risco na zona costeira é de R$ 136 bilhões, de acordo com o estudo realizado pela COPPE/UFRJ.

Nesse cenário, as ações de adaptação se referem a iniciativas e medidas capazes de reduzir a vulnerabilidade dos sistemas naturais e humanos frente aos efeitos atuais e esperados da mudança do clima. Ou seja, é uma forma de resposta para lidar com possíveis impactos e explorar eventuais oportunidades. A elaboração de uma estratégia de adaptação envolve, entre outras coisas, a identificação da exposição a esses impactos com base em projeções e cenários climáticos.

Com as informações Meio Ambiente Rio

Tags
Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro.
Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável.
Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer!

Para falar comigo, entre em contato pelo email:
contato@meioambienterio.com

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker