Meio Ambiente

Plantas medicinais: 12 espécies para cultivar em seu jardim (Veja)

Plantas medicinais foram identificadas e usadas ao longo da história da humanidade, pois têm a capacidade de sintetizar uma grande variedade de compostos químicos que são utilizados para desempenhar funções biológicas

Muitas pessoas pensam em ter um jardim em casa, onde eles podem plantar flores, plantas ornamentais, ervas e plantas medicinais. Mas a falta de espaço e de tempo muitas vezes impedem a realização deste sonho.

No entanto, muitas pessoas não sabem que existem várias plantas que ocupam pouco espaço, tornando-o ideal para o cultivo em lugares pequenos, tais como varandas, alpendres e pátios. Conheça algumas dessas plantas e sabe como fazer bom uso deles na cozinha e na saúde!

1. Erva-cidreira. Também chamado de melissa, esta planta é útil no tratamento de problemas digestivos, sono problemas, ansiedade, nervosismo, frio feridas, etc. Além disso, a erva-cidreira pode ser usado em sucos, chá e doces, dando um aroma refrescante e sabor.

2. manjericão. O manjericão é uma planta muito aromática amplamente utilizado na cozinha, em saladas, molhos, pizzas, sopas e até mesmo sucos. Em adição ao seu sabor delicioso, esta erva ajuda em problemas gastrointestinais, tais como a dispepsia, flatulência, mau hálito e mesmo a tosse. Os seus efeitos são também benéficos em casos de bronquite e úlceras.

3. Oregano. Outra planta amplamente utilizada em molhos, pizzas, carnes e saladas, o orégano tem efeitos anti-séptico, digestivo e expectorante e é útil no tratamento de constipações, tosse, bronquite e problemas digestivos, como dispepsia.

Plantas medicinais
Plantas medicinais

4. Thyme. Esta erva aromática vai muito bem com molhos, frango sobre a pizza e até mesmo chás. É também um excelente fluidificante e expectorante e é útil no tratamento de tosse, bronquite, congestão nasal, sinusite e gripe.12 plantas medicinais que podem ser cultivadas em seu jardim

5. Rosemary. O alecrim também é amplamente utilizado na culinária em molhos, sopas, caldos e carnes. Seu óleo essencial é rico em antioxidantes, que também têm anti-reumática, purgante e propriedades diuréticas. Externamente, o óleo essencial de alecrim podem ser usados ​​para a artrite, artrose e reumatismo. Internamente, o alecrim é usado contra a dor de cabeça, tosse, cistite, úlceras e até mesmo contra o Alzheimer.

6. Mint. Outra planta aromática, a hortelã é usada em chás, sucos, doces, pratos salgados, saladas, molhos quentes e assados. O óleo essencial rico em mentol tem propriedades digestivas e espasmolíticas e é útil em cólicas abdominais, inchaço, colite, mau hálito e do intestino irritável síndrome.

7. Aloe. Também conhecida como aloe-vera e aloe vera, esta planta é rica em mucilagem, vitamina E e C que são excelentes aliados na saúde da pele. Sua seiva interior é usado para aliviar queimaduras, promover a cura, hidratação da pele, acalmar irritações e psoríase. Suas propriedades anti-sépticas são utilizadas para cortes limpos e feridas abertas, feridas e inflamação. Além disso, o uso interno aloe é laxante.

8. Boldo-do-chile. Este pequeno arbusto de médio porto é muito utilizado por suas propriedades digestivas e é uma das ervas mais comumente usado para dores de barriga, problemas de digestão, flatulência, espasmos e úlceras. O uso mais comum de Boldo-do-chile está na forma de chá (infusão), mas há também comprimidos, cápsulas e gotas da planta.

9. Arruda. Esta planta é amplamente conhecida no Brasil. Seu uso é externo (como rue banheira) e atua na melhoria das varizes melhorando a circulação vascular. Uso interno é contra-indicado devido à toxicidade hepática rue.

10. capim limão. Também chamada de capim-limão, citronela grama santo eo capim-limão pode ser usado em sucos e chás e dá um sabor leve e refrescante preparações. Como uso interno, esta planta é excelente aliada na melhoria de nervosismo e stress. Externamente, o olho essencial é usado como um repelente de mosquitos.

11. Salsa. Popularmente conhecido como salsa, esta erva aromática é amplamente utilizado na culinária, em pratos, molhos, assados ​​salgados, etc. O que muitas pessoas não sabem é que a salsa é uma planta medicinal com ações contra a cistite, reumatismo, flatulência e melhorar o mau hálito. O uso excessivo de salsa, no entanto, é prejudicial.

12. Sage. Também é usado em cozinhar em molhos e pratos salgados, o sábio é anti-séptico e anti-inflamatório. Ele pode ser utilizado em casos de tosse, bronquite, rouquidão, dor de garganta e os bucais feridas.Use abusar da utilização de plantas medicinais que também podem ser utilizados na cozinha e cultivadas em vasos pequenos. Além de deixar a sua comida mais saborosa, sua vida terá mais saúde.

As plantas medicinais foram identificadas e usadas ao longo da história da humanidade, pois têm a capacidade de sintetizar uma grande variedade de compostos químicos que são utilizados para desempenhar funções biológicas importantes e para a defesa contra o ataque de predadores, tais como insetos, fungos, herbívoros e mamíferos. Pelo menos 12.000 desses compostos foram isolados até hoje, um número estimado em menos de 10% do total.

História

O uso de plantas como medicamentos antecede a história humana escrita. Muitas das ervas e temperos usados ​​por seres humanos na comida também produzem compostos medicinais úteis.[1] [2] O uso de ervas e especiarias na culinária desenvolveu-se em parte como uma resposta à ameaça de agentes patógenos de origem alimentar. Estudos mostram que em climas tropicais, onde os patógenos são mais abundantes, as receitas são mais condimentadas. Além disso, as especiarias com poder antimicrobiano mais potente tendem a ser selecionadas.[3] Em todas as culturas os vegetais são menos temperados do que as carnes, presumivelmente porque são mais resistentes à deterioração.[4] As angiospermas foram a fonte original da maioria das plantas medicinais. Muitas das ervas daninhas comuns que povoam os assentamentos humanos, como a urtiga, o dente-de-leão e a Morugem, têm propriedades medicinais.[5] [6]

Funcionamento

Os compostos químicos em plantas mediam seus efeitos sobre o corpo humano através de processos idênticos aos já bem compreendidos compostos químicos de drogas convencionais, assim os medicamentos fitoterápicos não diferem muito de drogas convencionais em termos de funcionamento. Isto permite que os medicamentos à base de plantas possam ser tão eficazes como os convencionais, mas também podem ter o mesmo potencial para causar efeitos secundários nocivos.[1] [2]

Tags
Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro.
Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável.
Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer!

Para falar comigo, entre em contato pelo email:
contato@meioambienterio.com

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker