Meio Ambiente

Hiperglicemia Causas Sintomas E Tratamentos

Hiperglicemia é o nome dado para altos níveis de glicose no sangue a característica de todas as formas de diabetes mellitus não diagnosticada.

Tendo muito açúcar em sua corrente sanguínea pode representar um risco imediato à saúde, enquanto períodos regulares de glicose no sangue podem levar ao desenvolvimento de problemas de saúde referidas complicações do diabetes, como a longo prazo.

A hiperglicemia é definida pela Associação Americana de Diabetes como tendo um nível de glicose no sangue que é:

Maior do que 130 mg / dL (miligramas / decilitro), quando em jejum
Igual ou superior a 180 mg / dL (miligramas / decilitro) duas horas depois de comer uma refeição
Metas de glicose no sangue “normais” variam um pouco dependendo do seu tipo de diabetes e se você é uma criança ou um adulto, e, em alguns casos, as pessoas podem ter diferentes objetivos estabelecidos para eles pelo seu médico.

Quais São As Causa Da Hiperglicemia

As causas subjacentes da hiperglicemia em pessoas com diabetes são geralmente a partir da perda de células produtoras de insulina no pâncreas ou a tornar-se menos eficaz de insulina no corpo.

Hiperglicemia

Outros fatores comuns que podem levar a níveis de açúcar no sangue incluem:

Comer muito carboidrato para a sua medicação
Ausente ou atrasar medicação
Estar doente ou estressado
Algumas pessoas também podem achar que pular uma refeição provoca um aumento nos níveis de glicose no sangue. Isso pode ocorrer se o seu corpo libera glicogênio, a forma armazenada de açúcar, a partir do fígado para tentar compensar por não ter uma refeição.

Quais São Os Sintomas De Hiperglicemia?

Os principais sintomas de níveis de açúcar no sangue são:

Aumento da sede
Aumento do apetite
Necessidade de urinar com frequência
Sensação de boca seca letárgico ou cansado

Outros sintomas comuns que podem ocorrer após períodos prolongados de glicose no sangue incluem:

Visão embaçada
Cicatrização lenta de feridas
Perda de peso inexplicada
Infecções do trato urinário regulares (UTIs)
Infecções fúngicas

Muito níveis de açúcar no sangue pode levar a sintomas mais graves, tais como:

Desidratação
Náusea
Vómitos
Perda de consciência
Coma
Estes sintomas mais graves podem indicar a presença de condições perigosas, como a cetoacidose diabética, que afeta pessoas que são dependentes de insulina.

 

Quais São Os Tratamentos Para A Hiperglicemia

O tratamento para a hiperglicemia pode depender de quão alto seus níveis de glicose são e como sua diabetes é tratada.

Note-se que tomar insulina suplementar pode aumentar o risco de níveis baixos de glicose no sangue (hipoglicemia) e assim por esse tratamento só é recomendado em pessoas que tenham sido aprovados por sua equipe de saúde para ajustar suas próprias doses de insulina.

Se você tem diabetes tipo 1 e açúcar níveis acima de 240 mg / dL, é recomendado realizar um teste para níveis cetônicos.

Qualquer sintomas de saúde que você possa sentir procure um pronto socorro mais próximos para realizações de exames.

Como Prevenir Elevados Níveis De Açúcar

Embora a redução de glicose no sangue é o ponto focal do tratamento do diabetes, prevenção de níveis de glicose no sangue de subir muito alto é uma das metas principais da gestão de diabetes.

Você pode ajudar a manter seus níveis de açúcar no sangue estável por:

Fazendo regularmente atividade física
Garantindo sua dieta é bem equilibrada e não excessivamente dependente de alimentos processados
Conseguir um bom equilíbrio entre a ingestão de hidratos de carbono e qualquer medicação que você toma.

Outras informações

A hiperglicemia é uma doença caracterizada pelo elevado nível de glicose no sangue. Os níveis normais de glicose no sangue é de até 99mg/dL pré-prandial (antes de comer) e de até 140mg/dL pós-prandial (depois de comer). Níveis alterados desses valores podem sugerir crises hipo ou hiperglicêmicas, por diversas etiologias (origens). Ao persistirem os níveis alterados, a procura a um serviço de saúde se torna essencial, podendo caracterizar-se por quadros patológicos, como a Diabetes Mellitus.

Considerações gerais

Os diabéticos que fazem a monitorização da glicose rotineiramente podem detectar aumentos da glicemia, sem, entretanto, apresentar sintomas de hiperglicemia.

Para estes pacientes recomenda-se, sempre que possível, pesquisar o nível da glicose no sangue. Isto pode ser feito preferencialmente nas seguintes ocasiões:

  • Em jejum e antes das principais refeições (almoço e jantar);
  • Em jejum e duas horas após as principais refeições;
  • Até duas horas após as refeições (glicemia pós-prandial).

A glicemia pós-prandial é medida dentro do intervalo de duas horas após as principais refeições. A interpretação de seus resultados poderá ser feita pelo profissional de saúde.

Causas

Nos portadores de diabetes ela acontece, de forma geral, pela insuficiência do tratamento medicamentoso para a alimentação e atividades diárias do paciente.

Outras causas podem ser:

Sintomas

  • Sede
  • Poliúria (excesso de urina)
  • Fome excessiva, acompanhada de emagrecimento
  • Cansaço
  • Pele seca
  • Dor de cabeça, podendo evoluir para náuseas e vômitos
  • Sonolência
  • Dificuldades para respirar e
  • Hálito cetônico (devido à formação de corpos cetônicos pelo organismo).
  • Endurecimento e espessamento das paredes arteriais.
  • Envelhecimento precoce
  • Redução na esperança de vida.

Consequências

Entre as complicações crônicas da hiperglicemia relacionam-se:

Microangiopatia

Caracterizada pelo comprometimento dos vasos sanguíneos capilares, por nefropatia e retinopatia.

Macroangiopatia

Caracterizada pelo comprometimento dos vasos arteriais e por deficiência circulatória no cérebro, coração e membros inferiores.

Retinopatia

Caracterizada por alterações na visão como a percepção de pontos flutuantes, anéis ou halos coloridos, dificuldade de visão diurna, pressão ou dor sobre os olhos, ou hipersensibilidade à luz.

Nefropatia

Caracterizada pela presença de albuminúria persistente (excreção de albumina em níveis superiores a 300 mg/dl) na ausência de outro distúrbio renal.

Neuropatia

caracterizada pela sensação de formigamentos, impotência sexual, alterações digestivas, urinárias e/ou circulatórias, ressecamento da pele, lesões ulcerosas nos pés e pernas, entre outros.

A longo prazo

Níveis elevados de glicose no sangue podem conduzir, a longo prazo, a alterações irreversíveis nos nervos e nos grandes e pequenos vasos sanguíneos. O diabetes também pode reduzir a capacidade do corpo em resistir a infecções, assim como aumentar a propensão a problemas oculares, doenças renais, pressão alta, ataques cardíacos, acidentes vasculares-cerebrais e amputação de membros superiores e inferiores.

Como evitar

Caso sejam identificados níveis elevados de glicose no sangue, deve-se procurar um médico ou um serviço de saúde para diagnóstico e tratamento apropriados. O controle adequado do diabetes pode auxiliar a prevenir e não evitar os problemas, em conjunto com mudanças saudáveis no estilo de vida do paciente como:

  • elevar o nível de informação, conduzindo a uma melhor administração do problema;
  • selecionar um plano alimentar nutricionalmente balanceado com carboidratos complexos e de baixo índice glicêmico;
  • escolha criteriosa do horário das refeições;
  • realização de exercícios físicos de baixo impacto, como caminhadas, natação e ciclismo;
  • visitar o profissional de saúde regularmente, seguindo as recomendações dele.

Com as informações seborreiacapilar.com.br

Tags
Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro.
Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável.
Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer!

Para falar comigo, entre em contato pelo email:
contato@meioambienterio.com

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker