Meio Ambiente

CELULITE: SAIBA COMO A ALIMENTAÇÃO PODE PREVENIR E CONTROLAR

A celulite apresenta características fenotípica resultante sobretudo de influência genética, com uma pequena parcela atrelada a influencias ambientais

Método revelado; veja como combater a celulite

A celulite é “um termo coloquial para depósito de gordura e tecido fibroso causando irregularidades na pele que está por cima”, cujo nome correto é Lipodistrofia Ginoide; encontrando-se usualmente nas nádegas e partes posteriores das coxas.

Caracteriza-se principalmente por ondulações da pele, dando a esta o aspecto de casca de laranja ou de ricota. Embora alvo da indústria da estética e da preocupação de muitas mulheres, a celulite não caracteriza doença, sendo uma forma natural de o organismo armazenar gordura superficial.

Faz-se presente no corpo da grande maioria das mulheres (70% a 80%), e mesmo mulheres magras as têm com frequência.
O termo também se refere à infecção bacteriana do subcutâneo, geralmente por estafilo aureus coagulase positivo (S. aureus), que é caracterizada por uma área eritematosa de bordos mal definidos, dolorosa, levemente inchada. Requer tratamento farmacológico; com penicilinas penicilinases-resistentes.

A celulite aparece principalmente na região dos glúteos, coxa, abdómen, nuca e braços.

Apesar de ser apontada como uma das marcas mais indesejadas que elas podem ter, provavelmente não existe uma única mulher no mundo que não apresente essas alterações cutâneas.

Mesmo que todas as mulheres apresentem uma celulite aqui e outra ali, existem alternativas para minimizar o desenvolvimento dessas marcas no corpo, permitindo que elas influenciem menos no visual.

Uma alimentação equilibrada é importante por dezenas (centenas? milhares?) de motivos, e a celulite é mais uma delas. Com alguns tipos de alimento, é possível minimizar e prevenir a celulite.

Veja alguns exemplos:

Vitamina C

Uma das causas da celulite é a baixa produção de colágeno pelo organismo, que resulta diretamente na qualidade da pele em várias partes do corpo.

O colágeno é uma proteína que depende intimamente do consumo de vitamina C, que participa de sua produção.

Por isso, uma maneira de fazer com que sua alimentação ajude no controle da celulite é aumentar o consumo de frutas cítricas ou outros alimentos ricos nessa vitamina.

Fibras alimentares

A celulite pode se desenvolver por causa do consumo excessivo de calorias, que resulta em reações inflamatórias no tecido cutâneo que desenvolvem essa marca no corpo.

As fibras alimentares, por sua vez, ajudam a diminuir o apetite, controlando também o consumo de calorias diário — que reflete diretamente na formação das celulites.

As melhores fibras alimentares estão em alimentos como os cereais integrais (aveia, arroz, farinhas, etc.), leguminosas como o feijão e a lentilha e na maioria das frutas.

Beba muita água

Você sabia que a celulite também pode ser uma consequência de um tecido cutâneo desidratado? Pois é!

Por esse motivo, o consumo de um volume adequado de água diariamente também é uma maneira de ajudar a controlar o desenvolvimento de celulites, visto que essa bebida ajuda a hidratar as células cutâneas e garantir a qualidade de suas estruturas.

Consuma oleaginosas

Os antioxidantes naturais também podem ajudar a minimizar o desenvolvimento de celulites espalhadas pelo corpo, uma vez que eles atuam no controle do envelhecimento precoce das células cutâneas, que podem resultar nessas marcas indesejadas.

As oleaginosas, além de fonte de fibras alimentares e de gorduras saudáveis, também são uma fonte importante de selênio, um antioxidante natural poderoso e essencial para evitar a ação dos radicais livres no tecido da pele.

As melhores são as amêndoas, castanhas, nozes e amendoim – só não exagere nas versões salgadas, para não ingerir muito sódio!

Evite as gorduras

Celulites nada mais são do que reações inflamatórias causadas pelo excesso do consumo de gorduras e açúcares, que não são aproveitados pelo organismo na produção de energia.

Quando evitamos o consumo de frituras e outras gorduras prejudiciais para a nossa saúde, o risco de desenvolver novas celulites é consequentemente reduzido.

Você já toma esses cuidados para evitar o desenvolvimento de celulites em várias partes do seu corpo? Compartilhe conosco suas experiências e deixe suas dúvidas no espaço de comentários!

 

Causas da celulite

A celulite apresenta características fenotípica resultante sobretudo de influência genética, com uma pequena parcela atrelada a influencias ambientais. Segundo alguns autores, não tem nada a ver com má circulação sanguínea, sistema linfáticos entupidos ou mesmo sedentariedade [1] . Segundo outros, como por exemplo a dermatologista Shirlei Borelli, o excesso de hormônio feminino e o sedentarismo estão presentes comprovadamente nos casos de celulite (fonte: livro As Idades da Pele, Orientação e Prevenção, editora Senac, páginas 44 e 72). No mesmo livro, na página 166, a autora diz que “estudos comprovam a ligação entre a má circulação venosa e a celulite”.

O tecido adiposo é um tecido frouxo, que requer a presença de tecido fibroso para ser sustentado. Em cerca de 1/4 da população feminina, esse tecido estende-se no meio e por sobre o tecido adiposo formando firmes tranças e dispondo a camada gordurosa em estratos, o que resulta em uma aparência externa lisa. Nos 3/4 restantes, o tecido adiposo naturalamente não encontra-se tão tencionado pelas fibras, e distribui-se de forma não estratificada em torno dessas. O resultado é a celulite[1] .

Alimentação

Muitos tentam erradicar a celulite engajando-se em um processo de emagrecimento, e fazendo dietas específicas. Embora o emagrecimento possa trazer alguma melhoria estética, esse, por si, não é um tratamento para a celulite. Muitas pessoas magras são portadoras de celulite, e emagrecer não é suficiente para se erradicar as mesmas. Há de se considerar ainda que várias pessoa bem gordas não têm celulite, exibindo uma pele lisa e hidratada igual a uma “bundinha de bebê”.[1]

A erradicação do consumo do leites de animais e derivados (queijos, mantEigas, iogurtes, coalhadas), que causam inflamação das células, pode trazer o benefício do fim de cólicas e da própria celulite, além de melhorias na pele [2] [3] [4] [5] . O glúten, carnes, linguiça, embutidos, e biscoitos recheados (ricos em gordura trans) também colaboram para aumento da celulite[6] .

Fatores mais comuns

Outros fatores[7] como o excesso de peso, o sedentarismo e o cigarro, estão em primeiro no ranking dos fatores que mais causam a celulite, seguidos por stress, baixa ingestão de líquidos, consumo de álcool e a pré-disposição genética.

Todos esses fatores associados ao fator principal que é a falta de uma alimentação correta, causam a celulite na sua forma mais agressiva, deixando a pele com aspecto ondulado e sem saúde.

Diagnóstico da celulite

Mesmo que os que a consideram doença concordem que essa traz pouca ou nenhuma implicação clínica, a celulite, em essência por questões culturais, traz grandes preocupações estéticas às mulheres, muitas vezes levando a quadros de constrangimentos quando faz-se necessária a exposição corporal pública, por exemplo mediante o uso de trajes curtos ou de banho. Apoio é usualmente procurado no sistema de saúde; e o médico que realiza a avaliação da celulite é geralmente o dermatologista.

O diagnóstico da celulite é dividido em graus:[8]

  • grau 0: Sem ondulações ou irregularidades na pele ao ficar de pé ou deitado, mas ao pinçar a região surgem as ondulações, mas não covinhas ou depressões;
  • grau 1: Sem ondulações e irregularidades na pele ao ficar de pé ou deitado, mas ao pinçar a região surgem as ondulações e também covinhas e depressões;
  • grau 2: Ondulações, rugosidades, depressões e covas espontaneamente se fica de pé, mas não deitada;
  • grau 3: Ondulações, rugosidades e covinhas estão presentes mesmo deitado.

Em casos graves e crônicos podem aparecer nódulos e endurecimento da pele.

Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close