Meio Ambiente

Zimbro: Propriedades e aplicações medicinais na saúde

Zimbro é usado para aliviar dores, irritações na pele e inflamações

O zimbro, modo popular como é conhecido o arbusto Juniperus communis, planta que é comumente encontrada na Europa e que produz frutos arredondados, semelhantes à uva, onde se encontram a parte mais importante do zimbro: as sementes! Estas são usadas como aromatizantes ou temperos, por conta de seu aroma e sabor marcantes.

Estas sementes originam um óleo que é usado para dar o sabor e aroma característicos da bebida alcoólica gin, bastante usado em drinques, com sabor e perfume levemente adocicados.

As bagas do zimbro ainda tem propriedades e aplicações medicinais, sendo usadas para aliviar dores, irritações na pele e inflamações.

Os frutos do zimbro também são conhecidos por outros nomes, como: genebreiro, junípero, zimbrão, fruto da genebra ou junipo.

Conheça algumas propriedades deste fruto

  • o óleo das frutas de zimbro pode ser usado para tratar doenças respiratórias, como asma e bronquite;
  • a planta também tem funções digestivas, reduz acidez estomacal e o mau hálito;
  • também é usado na cosmética, nos tratamentos de: acne, celulite e irritações da pele.
  • seu fruto tem ação calmante e reduz o nervosismo e a insônia, além de ser tônico, diurético e antiisséptico.
  • a infusão de folhas e galhos é usada como anticaspa e como repelente de insetos.

Como é utilizado o zimbro para cada indicação?

Normalmente, as bagas são usadas desidratadas ou em pó e o óleo retirado de seus frutos, usado em sintomas das doenças respiratórias, como asma e da bronquite. Dos frutos, pode-se fazer infusões ou tinturas para tratar inflamações, doenças de pele e má digestão. Também há as compressas feitas com o fruto do zimbro quetratam psoríase e dores ciáticas e o alcoolato (bagas imersas em álcool por bastante tempo), é útil para reduzir as dores reumáticas.

Precauções quando ao seu uso

Como possui algumas substâncias tóxicas, a planta deve ser usada com moderação. Quando utilizado em infusão ou tintura, as toxinas são reduzidas, mas, mesmo assim, devem ser consumidas doses pequenas. As gestantes e lactantes também são desaconselhadas a fazerem uso do zimbro, assim como pessoas com inflamações renais.

O zimbro, modo popular como é conhecido o arbusto Juniperus communis, planta que é comumente encontrada na Europa e que produz frutos arredondados, semelhantes à uva, onde se encontram a parte mais importante do zimbro: as sementes! Estas são usadas como aromatizantes ou temperos, por conta de seu aroma e sabor marcantes.

Estas sementes originam um óleo que é usado para dar o sabor e aroma característicos da bebida alcoólica gin, bastante usado em drinques, com sabor e perfume levemente adocicados.

As bagas do zimbro ainda tem propriedades e aplicações medicinais, sendo usadas para aliviar dores, irritações na pele e inflamações.

Os frutos do zimbro também são conhecidos por outros nomes, como: genebreiro, junípero, zimbrão, fruto da genebra ou junipo.

Conheça algumas propriedades deste fruto

  • o óleo das frutas de zimbro pode ser usado para tratar doenças respiratórias, como asma e bronquite;
  • a planta também tem funções digestivas, reduz acidez estomacal e o mau hálito;
  • também é usado na cosmética, nos tratamentos de: acne, celulite e irritações da pele.
  • seu fruto tem ação calmante e reduz o nervosismo e a insônia, além de ser tônico, diurético e antiisséptico.
  • a infusão de folhas e galhos é usada como anticaspa e como repelente de insetos.

Como é utilizado o zimbro para cada indicação?

Normalmente, as bagas são usadas desidratadas ou em pó e o óleo retirado de seus frutos, usado em sintomas das doenças respiratórias, como asma e da bronquite. Dos frutos, pode-se fazer infusões ou tinturas para tratar inflamações, doenças de pele e má digestão. Também há as compressas feitas com o fruto do zimbro quetratam psoríase e dores ciáticas e o alcoolato (bagas imersas em álcool por bastante tempo), é útil para reduzir as dores reumáticas.

Zimbro

Zimbro

Precauções quando ao seu uso

Como possui algumas substâncias tóxicas, a planta deve ser usada com moderação. Quando utilizado em infusão ou tintura, as toxinas são reduzidas, mas, mesmo assim, devem ser consumidas doses pequenas. As gestantes e lactantes também são desaconselhadas a fazerem uso do zimbro, assim como pessoas com inflamações renais.

Juniperus L. é um género de coníferas pertencente à família Cupressaceae, que inclui 50-67espécies (em função da estruturação taxonómica adoptada) de arbustos procumbentes, arbustose árvores de médio porte, caracterizados por apresentarem tronco robusto, madeira duradoura e, em geral, excepcional longevidade.

O género tem uma distribuição natural alargada peloHemisfério Norte, desde as costas do Ártico até à região tropical da África e às regiões montanhosas da América Central. O género apresenta a sua máxima diversidade nas regiões declima mediterrânico. As espécies integradas neste género são conhecidas pelos nomes comunsde zimbro, zimbreiro, junípero e sabina.

Descrição

As espécies integradas no género Juniperus variam entre árvores com 20–40 m de altura e arbustos colunares ou procumbentes, alguns assumindo uma forma rastejante com longos ramos apoiados no solo.

Todas as espécies são de folhagem perene, com folhas aciformes (em forma de agulha) ou escamiformes (em forma de escama), sendo comum a presença de folhas juvenis aciformes nos ramos jovens e folhas aciformes nos ramos adultos. O género inclui espécies monoicas edioicas.

Os cones femininos apresentam características muito próprias, com escamas carnudas coalescentes que se fundem para formar um gálbulo, uma estrutura semelhante a um “fruto” do tipo baga, com 4–27 mm de raio contendo 1-12 sementes com tegumento escuro e endurecido, desprovidas de asas ou quaisquer outras adaptações à anemocoria. Em algumas espécies, as falsas bagas quando maduras são vermelho-acastanhadas ou alaranjadas, mas na maioria são negras ou azuladas. A estrutura carnuda, conhecida por “baga de zimbro“, é geralmente aromática e com um sabor fortemente adstringente a pinho, sendo por isso utilizada como especiaria em culinária e como aromatizante e corante na confecção debebidas destiladas.

Os cones masculinos são similares aos das restantes Cupressaceae, com 6-20 escamas. A produção de pólen é abundante, sendo o transporte essencialmente por dispersão anemófila.

A maioria das espécies produz floresce durante a primavera, mas em algumas a polinização ocorre no outono. A maturação da semente, em função da espécie, ocorre 6–18 meses após apolinização.

Muitas espécies de Juniperus, entre as quais J. chinensis e J. virginiana, apresentam dimorfismo foliar, com dois tipos morfológicos de folhas bem distintos: (1) as plantas jovens e alguns ramos juvenis apresentam folhas aciculares (em forma de agulha) com 5–25 mm de comprimento; e (2) as folhas na plantas maduras são maioritariamente pequenas escamas, com 2–4 mm de comprimento, imbricadas e fortemente aderentes aos caules. Nestas espécies, quando a folhagem do tipo juvenil ocorre em plantas adultas, em geral instala-se em rebentos jovens situados em partes ensombradas da planta, com a folhagem adulta presente nas partes com melhor insolação. As folhas em rebentos de crescimento rápido apresentam por vezes características intermédias entre as folhagens juvenil e adulta.

Em algumas espécies, como J. communis e J. squamata, a folhagem retém as caractarísticas juvenis, sendo totalmente aciforme. Em algumas destas espécies, entre as quais J. communis, as agulhas são agrupadas na base, geralmente em tripletos, enquanto em outras, como J. squamata, as agulhas fundem-se gradualmente com o caule sem que ocorra a junção entre elas.

As folhas aciformes dos Juniperus são em geral aguçads e endurecidas, o que torna o manuseamento da folhagem juvenil difícil. Esta característica fornece uma forma valiosa de identificação das plântulas deste género, particularmente quando seja necessário distingui-las de espécies de géneros com características foliares similares, como Cupressus eChamaecyparis, que apesar da semelhança morfológica apresentam folhas macias.

A folhagem de Juniperus é o alimento exclusivo das larvas de alguns Lepidoptera, incluindo espécies como Bucculatrix inusitata e Thera juniperata. Constitui também alimento facultativo para outras larvas de lepidópteros como Chionodes electella, Chionodes viduella, Eupithecia pusillata e Panolis flammea. As larvas de algumas espécies, entre as quais a traça Cydia duplicana, alimentam-se do ritidoma em torno de áreas que sofram danos mecânicos ouantracnose.

Etnobotânica

As bagas de zimbro, a designação comum dos cones maduros de Juniperus, são utilizadas como especiaria num vasto conjunto de confecções culinárias e em bebidas alcoólicas. A sua utilização mais conhecida é como fonte primária do sabor do gin, bebida cujo nome aliás deriva da designação dada às plantas deste género na língua flamenga (genever). As bagas de zimbro são também a fonte principal do sabor e cor do licor Jenever (ou genebra) e dascervejas do tipo sahti. Molhos ou purés confeccionados com baga de zimbro são populares como tempero para pratos confeccionados com caça (rola, faisão, coelho-bravo e gamo), carne de vitela e outras carnes.

Muitas das populações pré-históricas do Hemisfério Norte viviam em zonas onde as florestas de zimbro eram frequentes, o que explica a utilização de diversas espécies de Juniperus para fins alimentares, combustível, madeira, abrigo e fabrico de utensílios. Algumas espécies, comoJ. chinensis no leste da Ásia, são extensivamente utilizadas em paisagismo, jardinagem ehorticultura. J. chinensis é uma das espécies mais populares para criar bonsai, sendo considerada um símbolo de longevidade, força, atleticismo e fertilidade.

Algumas espécies deste género são susceptíveis à infestação por Gymnosporangium, um fungo causador da doença da ferrugem das macieiras, razão pela qual essas espécies deJuniperus podem funcionar como hospedeiro alternativo em regiões produtoras de maçãs.

Algumas espécies de junípero são produtoras de excelente madeira, rija e duradoura, sendo esta conhecida como cedro. Entre estas espécies inclui-se Juniperus virginiana, cuja madeira é conhecida por cedro-vermelho, e Juniperus brevifolia, cuja madeira é conhecida por cedro-do-mato. Estas madeiras são frequentemente utilizadas em marcenaria, talha e estatuária. São particularmente conhecidas as peças de mobiliário com entalhes ou com gavetas feitas destes cedros, já que o seu odor é considerado como repelente de traças do papel, traças dos tecidos e outros insectos infestantes de materiais armazenados.

Em Marrocos a madeira de arar (Juniperus phoenicea) é utilizada para fazer embutidos em copos, jarros e outros recipientes destinados a água para beber, já que a sua resina (gitran) torna a água fragrante e é considerada como boa para os dentes.

Alguns povos ameríndios, como os navajos, utilizam extractos de Juniperus para tratardiabetes. Estudos em animais demonstraram que o tratamento com extractos de junípero pode retardar o desenvolvimento da diabetes induzida por streptozotocin em ratos de laboratório. São também conhecidos usos das bagas de Juniperus como contraceptivofeminino por povos ameríndios. O médico e herbalista Nicholas Culpeper (do século XVII) recomendava o uso de bagas maduras de Juniperus para tratar afecções como asma e ciáticae como forma de acelerar o nascimento das crianças.

As bagas de Juniperus podem ser destiladas a vapor para produzir um óleo essencial, fortemente fragrante e com uma coloração que varia de incolor a amarelado ou esverdeado pálido. Alguns dos seus componentes mais comuns são o alfa-pineno, cadineno, canfeno eterpineol.

Pequenas tábuas de madeira de Juniperus são utilizadas como revestimento de construçõesno norte da Europa, com destaque para a Escandinávia, como por exemplo em Havrå,Noruega.

Sobre o autor | Website

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Meio Ambiente Rio com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.