Meio Ambiente

Pesca: Iniciativa reúne especialistas para estudo

Pesca: “O projeto tem por objetivo conhecer as tecnologias atualmente empregadas para a captura, uso de embarcações e navegação e conservação de pescado

Entre os dias 24 e 25 de fevereiro, o pesquisador Agostinho Catella, da Embrapa Pantanal, participou do primeiro Seminário Integrador da Pesca Artesanal do Araguaia, realizado na sede da Embrapa Pesca e Aquicultura em Palmas (TO). O evento faz parte de um projeto coordenado pelo pesquisador Adriano Prysthon, da unidade tocantinense da empresa. “O projeto tem por objetivo conhecer as tecnologias atualmente empregadas para a captura, uso de embarcações e navegação e conservação de pescado, a fim de propor melhorias nestes processos – e vai levantar essas informações junto com os pescadores”, diz Agostinho.

Para o pesquisador, a gestão participativa do projeto (que envolve pescadores, instituições públicas estaduais e federais, universidades e instituições de pesquisa), permite que se tenha uma visão mais completa sobre as demandas, dificuldades e aspectos favoráveis ao desenvolvimento da atividade no estado. “Os especialistas vão identificar quais são as limitações apontadas pelos pescadores em todas as áreas. Pretendemos encontrar soluções tecnológicas (para as diferentes etapas da pesca) que ajudem pescar de modo mais eficiente e seletivo, reduzir custos e melhorar a navegação, conservar melhor o pescado… Enfim, queremos contribuir para o aumento do retorno para os pescadores e para a sociedade – a partir da mesma quantidade de peixes capturados”.

Segundo Agostinho, além dos pescadores e colabores das instituições, o projeto conta com uma equipe multidisciplinar de pesquisadores da Embrapa e deverá viabilizar o intercâmbio de conhecimentos em áreas como biologia de peixes, geografia e sensoriamento remoto, pesca, socioeconomia e qualidade de pescado. “Durante o evento, a participação de todos foi efetiva, cada um contribuiu com sua experiência e seus conhecimentos. As pessoas terminaram o seminário com uma sensação muito positiva e de muita confiança. Foi um tempo muito bem aproveitado”. O pesquisador afirma que, durante a iniciativa, foi definida também a agenda do projeto para os próximos meses. Nesse período, as equipes multidisciplinares deverão visitar as diferentes colônias de pescadores do rio Araguaia, ampliando o diálogo iniciado no evento às comunidades.

Intercâmbio entre Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Piauí e Tocantins

A experiência dos pesquisadores colaboradores do projeto foi apresentada em palestras realizadas na Embrapa Pesca e Aquicultura no dia anterior ao evento. O Professor Paulo Albuquerque, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (localizada em Recife), discorreu sobre as tecnologias utilizadas em pescarias artesanais no Brasil – tema que o professor deverá investigar no projeto. Depois, o professor Josenildo Souza, da Universidade Federal do Piauí, apresentou o tema “Pesca artesanal e agroecologia no Brasil”. Durante o seminário, Josenildo realizou uma oficina de metodologias participativas para a pesca artesanal com os participantes.

Pesca desenfreada nos oceanos pode causar impacto maior que poluição, diz ONG

A experiência adquirida com o estudo da pesca na região pantaneira foi um dos temas da palestra realizada por Agostinho Catella. Ele abordou aspectos ecológicos do bioma e da atividade da pesca no Pantanal, bem como a atuação da Embrapa na produção de conhecimentos e subsídios para políticas públicas do setor. “Com base na experiência do Pantanal, procuramos dar algumas sugestões sobre como otimizar as viagens e trabalhos em campo, sobretudo nas áreas de pesca e biologia de peixes. Vamos atuar como colaboradores. Por termos um contato estreito com os pescadores e muito tempo de campo na realização de estudos em biologia no bioma pantaneiro, estamos ajudando a equipe a calibrar, por exemplo, a frequência de visitações adequada para obter dados na mesma área”, afirma.

Segundo o pesquisador, com a base de informações científicas gerada pelo projeto e com a participação dos usuários da pesca, essa iniciativa vai ajudar, seguramente, a reunir os elementos necessários para atualizar a legislação de pesca vigente em Tocantins.

Com as informações Embrapa

Tags
Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close