Meio Ambiente

Parque da costa do sol completa cinco anos sem plano de manejo

Ainda sem contar com o Planejo de Manejo e com as melhorias prometidas pela Secretaria estadual do Ambiente, o Parque Estadual da Costa do Sol (PECS) comemora cinco anos de criação com uma vasta programação que começa neste sábado. No dia 18, data de aniversário do PECS, haverá plantio de árvores em três áreas, inclusive no Morro do Vigia, entre as praias do Peró e Conchas. Ave típica da região, o formigueiro-do-litoral é o símbolo do parque.

Com aproximadamente 10 mil hectares (um milhão de metros quadrados) e 27 áreas de proteção integral, situadas em seis municípios, o parque abrange áreas descontínuas de Saquarema, Araruama, Arraial do Cabo, São Pedro da Aldeia, Cabo Frio e Armação dos Búzios. Sonho dos ambientalistas, o PECS protege restingas, brejos, mangues, lagoas, lagunas, dunas, cordões arenosos, costões rochosos, florestas, praias e 15 ilhas costeiras em frente ao Peró.

O PECS tem entre seus principais objetivos a preservação de ecossistemas, alguns entre os mais ameaçados do estado. A fiscalização é feita pelos guarda-parques do Inea, que combatem construções irregulares, caça e desmatamentos. A repressão policial foi prejudicada com a extinção do Batalhão Florestal da PM, que tinha duas unidades na Região dos Lagos. Responsável pelo maior acervo de fotografias do PECS, o fotógrafo e ambientalista Antônio Ângelo cobra mais recursos para o PECS:

— Não somente o formigueiro-do-litoral como também o sabiá-da-praia e saíra-beija flor estão sofrendo ameaças constantes com as invasões e condomínios “autorizados”. As orquídeas também sucumbem com a extração ilegal – lamentou o ambientalista.

Presidente da ONG Viva Lagoa, Arnaldo Vila Nova participou da luta para a criação do PECS e continua cobrando o Plano de Manejo e a regularização fundiária do parque:

— Estamos preocupados com a falta de fiscalização, com a morosidade na sinalização e com a falta de equipamentos para o combate a incêndios. Os ambientalistas estão preocupados com as invasões e com a perda deste precioso espaço vital para a região que tem com o turismo a mola mestra da economia – lamentou Vila Nova.

O diretor do PECS, André Cavalcanti, disse que a responsabilidade pelo Plano de Manejo é da Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas do INEA. Procurada, a Secretaria estadual do Ambiente, a qual está subordinada o INEA, não respondeu as perguntas sobre o plano e demais investimentos no PECS.

MORRO DO VIGIA

Na manhã do dia 18, centenas de ambientalistas, moradores e estudantes, com apoio dos guarda-parques do INEA, vão plantar mudas de espécies nativas no Morro do Vigia, que conserva um dos ambientes do PECS que atrai grande número de turistas atraídos pela beleza do local. A concentração será às 9h na Cabana do Pescador, onde foi filmada a novela Avenida Brasil, da Rede Globo.No mesmo dia acontece a mesma ação na Lagoa de Jacarepiá e na restinga de Massambaba.,

No dia 16, pela manhã, minicurso sobre elaboração de projetos socioambientais; às 16h30m, mesa-redonda sobre educação ambiental no contexto escolar. Logo a seguir, outra mesa-redonda sobre pesquisa científica no PECS. Mais informações pelos telefones 2647-3850/2647-3466.
FOTOS DE ANTONIO ÂNGELO

PRAIA DAS CONCHAS – FOTOS DE ERNESTO GALIOTTO

Tags
Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close