Meio Ambiente

PRAIA DO PERÓ NA FASE PILOTO DA BANDEIRA AZUL

Com sete quilômetros de extensão e com um dos mais ricos ecossistemas do litoral fluminense, a Praia do Peró, em Cabo Frio, poderá hastear a Bandeira Azul daqui a dois anos. Após criteriosa análise técnica, foi instalada nesta segunda-feira a placa que marca o início da fase piloto do programa Bandeira Azul no trecho urbano de um quilômetro da praia, entre o Parque Estadual da Costa do Sol e as dunas da Área de Proteção Ambiental do Pau-Brasil.

Uma iniciativa da Fundação para Educação Ambiental, o programa Bandeira Azul começou em 1987 na Europa e chegou ao Brasil em 2004. O objetivo é proteger o ambiente marinho e costeiro, além de incentivar ações que conduzam à resolução dos eventuais conflitos existentes. No Brasil, o Bandeira Azul é operado pelo Instituto Ambiente em Rede, com sede em Florianópolis.

A placa da Praia do Peró foi instalada no final da Avenida dos Pescadores, em frente ao Hotel Âncora. O programa chegou ao balneário depois de um encontro de representantes do Movimento Amigos do Peró com a coordenadora do Bandeira Azjul, Leana Bernardi. Logo a seguir, a reivindicação foi levada ao secretário municipal do Meio Ambiente, Jailton Nogueira Júnior, que encaminhou o pedido da candidatura. A instalação da placa foi acompanhada por vários jornalistas brasileiros e um americano, convidados pelo Ministério dó Turismo.

— Teremos em Cabo Frio uma praia sustentável graças à união da sociedade e empresários com o poder público. O Peró atende aos pré-requisitos do programa Bandeira Azul porque é uma praia ao mesmo tempo urbana e selvagem – disse o secretário do Meio Ambiente.

O programa exige a participação dos municípios de envolvimento de instituições locais que representam os vários segmentos da Sociedade Civil (moradores, iniciativa privada, empreendedores e grupos atuantes na praia beneficiada). Todos podem efetivamente colaborar na efetivação do programa.

— Obter a Bandeira Azul é uma grande responsabilidade que deve ser traduzida em mudança de comportamento e gestão responsável: hastear a bandeira é apenas o início desde processo de mudança – explicou Leana Bernardi.

A superintendente de Turismo de Cabo Frio, Luane Ferreira, destacou a importância da Bandeira Azul para o município, lembrando que a experiência poderá levar a cidade a certificar outras praias no futuro:

— A certificação abre as portas do turismo internacional para o Peró. O turista de qualidade vem em busca de praias com Bandeira Azul porque sabe que ali vai encontrar qualidade. Para isso é preciso esforço e mudança de comportamento, que já está acontecendo no Peró – disse a superintendente,

FASE PILOTO

A fase piloto é a etapa inicial do programa, na qual a praia tem prazo de até dois anos para realizar as adequações recomendadas para o cumprimento dos critérios e, então, solicitar a certificação. Caso o candidato conclua as adequações em um prazo menor, este pode receber a certificação em menos de dois anos.

Todas as praias devem passar primeiro pela fase piloto para pleitear a bandeira azul. É importante ingressar na fase piloto quando os candidatos passam a contar com o auxílio da coordenação do programa na interpretação dos critérios e passam a ter o direito de divulgar sua condição de participantes do programa. Os participantes desta fase não podem hastear a bandeira azul, porém são autorizados a instalar uma placa explicativa do programa, além de divulgar em todas as mídias seu ingresso na fase piloto do programa.

Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro.
Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável.
Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer!

Para falar comigo, entre em contato pelo email:
contato@meioambienterio.com

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker