Meio Ambiente

Abertura da Olimpíada defende ecologia apesar de Rio não limpar Baía

1 (20%) 1 vote

Um dos temas centrais da abertura da Olimpíada Rio-2016 foi a defesa da ecologia. A questão é que o meio-ambiente foi justamente o calcanhar de aquiles dos Jogos. Não houve a prometida limpeza de 80% da Baía de Guanabara, a despoluição das lagoas e do ar da cidade.

Ao mesmo tempo, um menino estava preso em um labirinto de prédios. Depois, ele consegue sair de lá e encontra uma flor.

Neste momento, talvez o mais tocante da cerimônia, as atrizes Fernanda Montenegro e Judi Dench recitam a poesia “A Flor e Náusea”, de Carlos Drummond de Andrade. A poesia fala sobre uma flor que nasce no meio do tráfego, e do caos urbano.

Depois é exaltado que a melhor forma de combater os estragos ao meio-ambiente é por meio do plantio de árvores, enquanto o verde se espalha na projeção. Atletas ganharam sementes para plantar árvores.

Só que, na candidatura do Rio, havia a promessa de que despoluição de 80% da Baía e esse patamar chegou no máximo a 50%. As águas ainda estão extremamente sujas para as disputas de vela. O mesmo ocorre na Lagoa Rodrigo de Freitas, sede do remo e canoagem. Esse foi o maior fracasso de legado da cidade para a Olimpíada.

Não houve ainda melhoria no ar do Rio de Janeiro, segundo testes independentes. Essa era outra promessa do comitê em sua candidatura.

Leia agora  21 Usos poderosos de olíbano óleo para saúde, beleza, bem-estar e Cura

Sobre o autor | Website

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Meio Ambiente Rio com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.