Meio Ambiente

Fórum permite atualizar visão das cooperativas sobre cenários econômicos

Avaliar postagem!

O Fórum Catarinense de Dirigentes Cooperativistas que a Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (OCESC) promoveu na última semana, em Florianópolis, “permitiu discutir ética e atualizar uma leitura da multifacetada atualidade econômica e aprofundar a compreensão acerca dos desafios mediatos e imediatos para os setores produtivos.” O evento teve o patrocínio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/SC).

A avaliação é do presidente da OCESC, Luiz Vicente Suzin, lembrando que, com no atual cenário, as cooperativas – como as empresas em geral – têm como pano de fundo uma era de incertezas, vergastados por problemas crônicos de um país em crescimento com fortes contrastes regionais, lutando para reduzir desigualdades, criar uma infraestrutura de crescimento econômico de norte a sul e de leste a oeste, dar assistência aos fragilizados, amparar a velhice e pavimentar um futuro para as gerações que estão chegando.

O dirigente avalia que “os tempos são de transição e acreditamos que a economia reagirá, mas, nesse momento, o quadro dominante é marcado por desemprego, inflação, baixo nível de consumo e baixa taxa de confiança no mercado. Essa nova realidade que nos envolve inexoravelmente e a cada dia com maior celeridade emoldura com tons de dramaticidade o papel do cooperativista. Todas as demandas sociais decorrentes do pulsar desse processo globalizante deságuam nas Cooperativas”.

O Fórum reuniu cerca de 200 presidentes e diretores no Costão do Santinho Resort. Na primeira etapa, o professor Clóvis de Barros Filho (doutor e livre-docente pela Escola de Comunicações e Artes da USP e autor da obra Corrupção: Parceria degenerativa) prelecionou sobre Ética. Definiu ética como “a inteligência compartilhada a serviço do aperfeiçoamento da convivência humana”. E acrescentou que sem o freio da ética, “a sociedade seria o reino animal. Cada ser vivente é regido pelos seus apetites. A ética tenta viabilizar um meio de estarmos todos juntos para além das aspirações particulares. Do contrário, vence o desejo do mais forte. Em sociedades eticamente desestruturadas, a tendência a abrir mão dos impulsos individuais em nome do bem comum é menor”.

Leia agora  Senado poderá ter prêmio para atuação no desenvolvimento da agricultura e da pecuária

Em seguida, o professor da Fundação Dom Cabral e ex-docente da USP José Pedro Barbosa Lins expôs o tema Sustentabilidade, o diferencial competitivo no cooperativismo. Lins detalhou como a competitividade sustentável contribui para a transformação, a consolidação e o sucesso das empresas. “É o compromisso das empresas em gerenciar e melhorar seus resultados sociais, econômicos, ambientais e culturais, seus impactos ambientais, suas implicações sociais.” Agindo assim, elas proativamente desenham seus ambientes de negócios, implantam a sustentabilidade nas suas culturas corporativas e investem em inovação continuamente para transformar ameaças em oportunidades.

            SEGUNDA ETAPA

No segundo dia do Fórum Catarinense de Dirigentes Cooperativistas, as atividades consistiram na palestra do analista Samy Dana sobre cenários econômicos da conjuntura nacional e internacional. Dana é graduado e mestre em Economia e, também, doutor em Administração e PhD em Business. Integra o quadro de docentes da Fundação Getúlio Vargas em São Paulo e da GV Cult.

Sobre o autor | Website

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Meio Ambiente Rio com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.