Meio Ambiente

Biocombustíveis “pior do que a gasolina ‘para o ambiente, novo estudo constata

Biocombustíveis “verdes”, como o etanol e o biodiesel são, na verdade pior para o ambiente que a gasolina, um estudo novo marco foi encontrado

A fonte de energia alternativa tem sido muito elogiado por ser carbono neutro, pois as plantas é feita a partir de absorver dióxido de carbono, o que provoca o aquecimento global, a partir da atmosfera durante o seu crescimento.

Mas uma nova pesquisa em que os EUA descobriram que as culturas utilizadas para biocombustíveis absorvem apenas 37 por cento do C02 que é posteriormente liberado na atmosfera quando as plantas são queimados, o que significa que o processo realmente aumenta a quantidade de gases de efeito estufa no ar.

T ele cientistas por trás do estudo pediram aos governos a repensar suas políticas de carbono em função dos resultados.

O uso de biocombustíveis é controversa porque significa culturas e espaço fazenda que poderiam ser dedicados a produção de alimentos são, de facto, utilizada para produzir energia.

Eles compõem atualmente pouco menos de 3 por cento do consumo global de energia, e usar em os EUA cresceu de 4,2 bilhões de galões por ano em 2005 para 14,6 bilhões de litros por ano em 2013.

No Reino Unido o Combustível Renovável de Transporte Obrigação significa que agora 4,75 por cento do combustível nenhum dos fornecedores vem de uma fonte renovável, que normalmente é o etanol derivado a partir de culturas.

bomba de gasolina
Grã-Bretanha planeja introduzir uma nova gasolina com uma maior proporção de biocombustível CRÉDITO: PA

P rofessor John DeCicco, da Universidade de Michigan, disse que sua pesquisa foi a primeira a examinar cuidadosamente o carbono na terra onde os biocombustíveis são cultivadas.

“Quando você olha para o que está realmente acontecendo na terra, você achar que não carbono suficiente está sendo removido da atmosfera para equilibrar o que está saindo do tubo de escape”, disse ele.

“Quando se trata de as emissões que causam o aquecimento global, verifica-se que os biocombustíveis são piores do que a gasolina.”

Professor DeCicco disse que o estudo, que é publicado na revista Climatic Change, redefinir os pressupostos, que os biocombustíveis, como alternativas renováveis aos combustíveis fósseis, são carbono neutro inerentemente simplesmente porque o C02 liberado quando queimado foi originalmente absorvido da atmosfera através da fotossíntese.

As políticas pegada de carbono de muitos países avançados supõem que os biocombustíveis à base de culturas oferecer aos reduções de gases de efeito estufa líquida modestas muito menos em relação aos combustíveis derivados do petróleo.

No entanto, os cientistas de Michigan ignorou os modelos vigentes e analisados dados reais sobre a produção agrícola, a produção de biocombustíveis, a produção de combustíveis fósseis e as emissões dos veículos.

“Os fundamentos de políticas utilizadas para promover os biocombustíveis por razões de clima agora ter sido provada a ser cientificamente incorreto”, disse o professor DeCicco.

“Os formuladores de políticas devem reconsiderar seu apoio para os biocombustíveis.

“Esta questão tem sido debatida por muitos anos; o que é novo aqui é que dados concretos, direto de terras agrícolas da América, agora confirmar os piores temores sobre os danos que os biocombustíveis fazer para o planeta “.

No mês passado, o governo do Reino Unido disse que iria avançar com planos para atender as metas de energias renováveis da UE , apesar do voto Brexit.

Isso exigirá a Grã-Bretanha para gerar pelo menos 15 por cento de sua energia de fontes renováveis até 2020.

Ministros dos Transportes também disse que era “muito provável” a Grã-Bretanha iria introduzir um novo tipo de combustível chamado E10, que é composta de uma maior proporção de biocombustíveis do que o combustível atual, a fim de cumprir uma meta que exige 10 por cento da energia de transporte para ser renovável.

Com as informações telegraph.co.uk

Tags
Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close