Meio Ambiente

Pneumologista dá dicas para acabar com a dependência no Dia Nacional de Combate ao Fumo

Diminuir o café e o álcool pode ajudar a superar o cigarro

O Brasil celebra o Dia Nacional de Combate ao Fumo em 29 de agosto. A data foi instituída em 1986 com o objetivo de conscientizar e mobilizar a população sobre os riscos decorrentes do hábito.No país, como resultado das importantes ações de controle do tabaco desenvolvidas, a prevalência de tabagismo vem diminuindo ao longo dos anos. Em 1989 o percentual de fumantes de 18 anos ou mais no país era de 34,8%. Já em 2013, de acordo com pesquisa mais recente para essa mesma faixa etária em áreas urbanas e rurais, este número caiu para 14,7%.

Pneumologista da Policlínica Granato, o médico Gabriel Santiago, afirma que o consumo do cigarro é cenário de dependência e considerado uma epidemia: “O cigarro é, conforme já definido pela Organização Mundial de Saúde, a maior causa isolada evitável de adoecimento e mortes precoces em todo o mundo. É reconhecido como uma doença epidêmica que causa dependência física, psicológica e comportamental semelhante ao que ocorre com o uso de outras drogas como álcool, cocaína e heroína”, diz.

Para as pessoas que desejam parar com o vício, o médico dá dicas: “O combate necessita de um acompanhamento multiprofissional, baseando-se na terapia comportamental, associado ao acompanhamento médico e suporte farmacológico. O suporte farmacológico, visa o controle do vício químico, provocado principalmente pela nicotina, sendo oferecido através de adesivos e gomas, dessa forma ‘suprindo’ a dependência do organismo, associado ao tratamento ansiolítico, visando inibir ou reduzir os sintomas de abstinência, através de medicações que atuam diretamente nos receptores relacionados ao vício. Fora isso o fator mais importante para o sucesso do tratamento, é a resolução do paciente, que é adquirida através da percepção do efeito maléfico e possíveis complicações do efeito do cigarro, e o ganho considerável em qualidade de vida com a interrupção do hábito”, afirma.

Adotar algumas mudanças na mesa também ajuda. “Não existe uma dieta muito restrita, já que é ruim ‘cortarmos’ duas coisas ao mesmo tempo, mas diminuir o café e bebidas alcoólicas ajuda. Às vezes, oferecemos a substituição de hábitos. Muitos pacientes substituem o cigarro pelo chiclete ou bala. Estimular exercícios físicos também é muito importante”, completa.

Sobre a Policlínica Granato:
Fundada em 2008, tem como objetivo oferecer atendimento médico e exames complementares com valores até 70% mais baratos do que clinicas particulares, suprindo a carência de um sistema de saúde de qualidade, tanto da rede pública quanto privada. Já realizou cerca de 900.000 atendimentos desde que foi criada. Em instalações amplas e completas, com unidades na Tijuca, São Conrado e Madureira, a Policlínica Granato proporciona, com comodidade e rapidez, os melhores cuidados na área da saúde a que toda pessoa tem direito.

Tags
Show More

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro.
Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável.
Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer!

Para falar comigo, entre em contato pelo email:
contato@meioambienterio.com

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker