Meio Ambiente

Consumidor brasileiro é o mais preocupado com a sustentabilidade na indústria cosmética

Avaliar postagem!

O consumidor brasileiro é o que mais se preocupa com o impacto ambiental dos cosméticos. Segundo pesquisa realizada pelo instituto internacional GFk, divulgada em 2014, mais da metade dos usuários de produtos cosméticos leva a questão sustentável em conta em sua decisão de compra. Considerando que o Brasil é o terceiro mercado de cosméticos do mundo, os empreendedores do setor que procuram formas de diferenciar seus negócios têm na pegada sustentável uma oportunidade estratégica para se desenvolver, como aponta o boletim do Sistema de Inteligência Setorial (SIS) do Sebrae.

O “mercado verde” já está sendo bem explorado por multinacionais como L’Oreal e Unilever, mas também há muito espaço para os pequenos negócios. Para entender o que os consumidores mais buscam nas marcas sustentáveis, o Instituto Akatu fez uma pesquisa que mostra como principais preocupações os maus tratos a animais (escolhido por 52% dos entrevistados), as boas relações com a comunidade (46%), a chancela de selos de proteção ambiental (46%) e de boas condições de trabalho (43%).

Entre as ações e estratégias sugeridas pelo SIS/Sebrae para produção de cosméticos sustentáveis estão:

Utilização de ativos e matérias-primas biodegradáveis: a maioria dos óleos minerais usada em cosméticos não é biodegradável e proporciona um risco ao meio ambiente. As marcas podem substituir os óleos minerais pelos vegetais, que são bem absorvidos pela pele.

Embalagens reaproveitáveis e logística reversa: procure fornecedores que possuam certificações e materiais sustentáveis. Embalagens PET ajudam a minimizar os impactos no meio ambiente. Além disso, garanta que seus clientes recebam os produtos comprados em sacolas biodegradáveis. A empresa também pode implantar o sistema de logística reversa, coletando as embalagens vazias de seus produtos (em sua sede ou no ponto de venda) para reutilizar ou encaminhar para reciclagem.

Transparência: informe aos clientes de maneira clara – nas embalagens, nas sacolas ou em um folheto anexado ao produto – sobre os processos pelos quais o produto passa, as práticas sustentáveis da empresa e, se possuir, as certificações ambientais/laborais.

Um exemplo de pequena empresa sustentável é a Livealoe, criada na cidade goiana de Itapuranga pelas irmãs Janaina e Déborah Nunes de Lima com a proposta de unir saúde, meio ambiente e beleza. Elas produzem na chácara da família fitocosméticos (elaborados com óleos e extratos de plantas medicinais) e vendem seus produtos para quase todo o país, por meio do e-commerce. Para aperfeiçoar seus produtos e trazer inovações, as irmãs participam de feiras internacionais de produtos orgânicos como a Biofach, em Nuremberg (Alemanha).

Leia agora  Número de produtores orgânicos aumenta 10 vezes em três anos no Noroeste Fluminense

 

Outras ações recomendadas pelo SIS/Sebrae são:

Conheça a cartilha Fábrica de Cosméticos Ecológicos desenvolvida pelo Sebrae, que é um dos temas da série Ideias de Negócios Sustentáveis, para empreendedores que têm interesse em atuar nesse segmento

Acompanhe o Centro Sebrae de Sustentabilidade para ter acesso a notícias, relatórios e orientações sobre práticas sustentáveis

Para mais informações sobre como implementar a carona solidária conte com os especialistas do Sebrae pelo telefone 0800 570 0800 ou clique aqui e descubra a unidade mais próxima

Sobre o autor | Website

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Meio Ambiente Rio com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.