BlackRock: fatores climáticos ‘subestimados e sub-precificados’

Quando o maior gestor de ativos do mundo, com US$ 4,89 trilhões sob sua gestão, conclui que “todos os investidores devem incorporar a conscientização das mudanças climática em seus processos de investimento”, é sinal de que o aquecimento global realmente entrou no mainstream. O paper “Adaptando as carteiras às alterações climáticas: implicações e estratégias para todos os investidores”, lançado pelo BlackRock Investment Institute em 6 de setembro, tem 16 páginas e uma forte mensagem. Significativamente, o documento é de co-autoria de Philipp Hildebrand, Vice-Chairman da BlackRock e ex-governador do Banco Nacional da Suíça, juntamente com Deborah Winshel, que também atua no FSB TFCD.

O documento diz que “todos os proprietários de ativos podem – e devem – tirar proveito … de ferramentas de investimento relacionadas com o clima e estratégias para gerir o risco … buscar retornos em excesso ou melhorar a sua exposição ao mercado.” Os autores terminam dizendo investidores devem se preparar para “quadros regulatórios que resultem em preços realistas do carbono.

Trechos do paper da BlackRock:

Todos os investidores devem incorporar a conscientização das mudanças climáticas em seus processos de investimento» e que «fatores climáticos têm sido subestimados sub-precificados. No entanto, isso pode mudar à medida que os efeitos das alterações climáticas tornam-se mais visíveis.

Os investidores não podem mais ignorar as mudanças climáticas. Alguns podem questionar a ciência por trás, mas todos são confrontados com uma crescente onda de regulamentos e rupturas tecnológicas relacionados com o clima. Baseando-se nos insights dos profissionais de investimentos da BlackRock, detalhamos como os investidores podem mitigar os riscos climáticos, explorar oportunidades ou ter um impacto positivo. Concluímos que investir com consciência do clima é possível e não compromete metas tradicionais de maximizar o retorno dos investimento. Nós, então, refletimos sobre as medidas que as partes interessadas no debate sobre o clima estão considerando, incluindo o uso de precificação do carbono como uma maneira efetiva, em termos de custos, para reduzir as emissões. Nossa conclusão geral: acreditamos que todos os investidores devem incorporar a conscientização das mudança climáticas em seus processos de investimento.

Resumindo: nós acreditamos que fatores climáticos têm estado subestimados e sub-precificados. No entanto, isso pode mudar à medida que os efeitos das mudanças climáticas se tornam mais visíveis.

Resumindo: a redução das emissões de carbono exige gastos significativos em infra-estrutura verde e uma redução dos subsídios aos combustíveis fósseis. Isso cria grandes oportunidades de investimento em áreas que atraem o capital ou indústrias em risco de perturbação.

Resumindo: nossa pesquisa sugere que pode haver pouca desvantagem em incorporar gradualmente fatores climáticos no processo de investimento – há até mesmo potencial de crescimento.

Resumindo: green bonds são uma oportunidade de investimento e uma ferramenta de financiamento crescente para infraestrutura sustentável.
Repercussão na mídia econômica internacional:

The Economist destacou a constatação da BlackRock de que “durante o período entre março de 2012 a abril de 2016, as empresas que reduziram suas emissões de carbono foram as que bateram o MSCI World Index em 4%”, enquanto aqueles com menor melhora tiveram um desempenho inferior em cerca de 5% (Acclimatising: Getting more sophisticated about green investing, Economist , 8 de setembro).

A Reuters, por sua vez, disse que a BlackRock “está fortalecendo os seus dados e processos analíticos para refletir as mudanças no ambiente – e as respostas políticas a eles” (Funds leader BlackRock calls on investors to assess climate change impact, 6 de setembro).

O Financial Times (Blackrock issues climate change warning, 6 de setembro) cita Ewen Cameron-Watt, da BlackRock, dizendo que o investimento consciente das mudanças climáticas é possível “sem comprometer os objetivos tradicionais de maximizar os retornos dos investidores.”

Sobre o autor | Website

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Meio Ambiente Rio com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.