Destaques

Cientistas estão lançando testes em humanos para uma “vacina” contra o câncer que curou 97% dos tumores em camundongos

Cientistas da Universidade de Stanford estão atualmente preparando o primeiro teste humano de uma “vacina” contra o câncer, um tratamento que eliminou até 97% dos tumores durante os testes com camundongos. Apropriadamente 35 pessoas com linfoma começarão os testes antes do final de 2018. Não tecnicamente uma vacina, o novo tratamento contra o câncer é um tipo de imunoterapia que envolve a injeção de dois agentes diretamente em um tumor. Esses agentes estimulam a produção de células T, que então combatem o câncer. Por mais promissor que o tratamento possa ser, ainda está longe de estar pronto e disponível ao público.

Em estudos com camundongos, a vacina contra o câncer eliminou tumores em 87 dos 90 camundongos, todos sofrendo de vários tipos de câncer, incluindo linfoma, câncer de mama e câncer de cólon. A vacina mostrou-se eficaz mesmo nos casos em que o câncer se espalhou para outras partes do corpo. Por mais emocionante que esse desenvolvimento possa ser, é muito cedo para avaliar adequadamente. “Temos sido capazes de curar muitos tipos de câncer em camundongos por um longo tempo”, disse a Dra. Alice Police, diretora regional de cirurgia de mama do Northwell Health Cancer Institute, à Live Science .

A polícia também apontou que, como o teste em humanos inclui apenas pacientes com linfoma, levará mais tempo e pesquisa antes que seja possível determinar se a vacina contra o câncer é eficaz contra outros tipos de câncer em humanos. No entanto, a vacina contra o câncer é uma alternativa promissora às imunoterapias existentes. “Quando usamos esses dois agentes juntos, vemos a eliminação de tumores em todo o corpo”, disse Ronald Levy, professor de oncologia de Stanford, em um comunicado. “Esta abordagem ignora a necessidade de identificar alvos imunológicos específicos do tumor e não requer ativação por atacado do sistema imunológico ou personalização das células do sistema imunológico do paciente.”

Tags
Ler matéria completa

Leidiana Torres

Bacharel em Enfermagem e sócia-fundadora da Folha Sustentável. Contato: [email protected]

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close