Destaques

A primeira ponte de aço impressa em 3D do mundo parece ter vindo de outro planeta

A empresa de tecnologia holandesa MX3D acaba de lançar oficialmente a primeira ponte de aço inoxidável impressa em 3D do mundo . Foram precisos quatro robôs , quase 10.000 libras de aço inoxidável , cerca de 684 milhas de arame e seis meses de impressão para construir a estrutura sinuosa e ondulada, que parece ter saído de um filme de ficção científica .

O MX3D Bridge, projetado pelo Joris Laarman Lab , tem cerca de 41 pés por 20 pés, e é feito de um novo tipo de aço. A impressão 3D criou uma superfície nervurada à medida que os robôs adicionavam camadas e camadas; O Gizmodo disse que poderia ser desfeito, mas o MX3D planeja manter a aparência única e rude.

Imagens cortesia de MX3D, Laboratório Joris Laarman, Adriaan de Groot, Thijs Wolzak e Olivier de Gruijter
Imagens cortesia de MX3D, Laboratório Joris Laarman, Adriaan de Groot, Thijs Wolzak e Olivier de Gruijter

Laarman disse ao Gizmodo que é estranho vislumbrar a ponte em sua oficina: “É um pouco como estar em uma história de ficção científica porque parece tão diferente de tudo que existe por aí. Trabalhamos em um estaleiro altamente industrial, onde tudo é de forma geométrica, mas essa ponte não tem uma única linha reta ”.

O objetivo do MX3D para o projeto da ponte é “mostrar as possíveis aplicações de nossa tecnologia de impressão 3D em vários eixos”, de acordo com seu website. Eles dizem que atendem os mercados de arquitetura , marítimo e marítimo e de indústria pesada. Há aquela centelha de ficção científica em sua página Sobre também: sua visão final é de robôs criando construções leves – não apenas pontes, ou edifícios, mas também colônias de Marte .

A empresa credita à Arup a engenharia estrutural, a Heijmans como especialista em construção e a AcelorMittal à perícia metalúrgica, para citar alguns; várias outras empresas e universidades estiveram envolvidas no projeto da ponte.

A ponte do MX3D deve ser instalada sobre o canal Oudezijds Achterburgwal em Amsterdã , possivelmente em 2019. Antes disso, a ponte passará por testes de carga. O co-fundador Gijs van der Velden disse ao Gizmodo que eles testaram recentemente com 30 pessoas, e isso se comportou como deveria. Ele disse ao Gizmodo: “[autoridades da cidade de Amsterdã] colaboraram conosco, Arup e Imperial College London para definir um método para avaliar a segurança da ponte, pois, é claro, para uma produção nova como essa, não há código padrão. Sua atitude aberta em relação a um projeto tão novo e não convencional foi essencial para tornar esse projeto um sucesso ”.

Tags
Ler matéria completa

Aurélio Barbato

Aurélio Barbato é Administrador de Empresas e Economista, formado pela Faculdade de Ciências Econômicas de São Paulo, especializado em Economia Sustentável, coordenou de eventos importantes no setor da indústria eletroeletrônica. E-mail: [email protected]

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close