Destaques

Agência Internacional de Energia sobrecarrega desproporcionalmente as nações em desenvolvimento em seus relatórios

Em seus cenários futuros de energia, a Agência Internacional de Energia (IEA) tem orientado governos a tomar decisões energéticas incompatíveis com os objetivos do Acordo de Paris e com o princípio da Responsabilidade Comum, Porém Diferenciada da Convenção de Clima da ONU, de acordo com nova pesquisa que está sendo lançada hoje.

O “Novo Cenário de Políticas” (NPS-New Policy Scenario) da IEA, que é comumente usado como roteiro para políticas e investimentos em energia, prevê um aumento do consumo de petróleo, gás e carvão que implicaria em queimar uma quantidade de combustíveis fósseis que esgotaria o orçamento de carbono para a meta de 1,5° C até 2022, e para um limite de 2° C até 2034.

Um novo relatório da Oil Change International e do Instituto de Análise Econômica e Financeira de Energia (IEEFA) conclui que a IEA também coloca uma carga desproporcional sobre as economias emergentes em seu mais ambicioso “Cenário de Desenvolvimento Sustentável” (SDS-Sustainable Development Scenario).

Cortes de emissões no Cenário de Desenvolvimento Sustentável 2040 em comparação com o Cenário Novas Políticas,
OCDE versus países não-OCDE

 

 

Source: IEA -  IEA, WEO 2017, pp.718-19, 722-23
Source: IEA – IEA, WEO 2017, pp.718-19, 722-23


Source: IEA – 
 IEA, WEO 2017, pp.718-19, 722-23

“No cenário SDS, a Índia cortaria suas emissões em 46% em relação ao NPS, apesar de sua necessidade urgente de desenvolvimento, enquanto a União Europeia, já desenvolvida, reduziria as emissões em apenas 40%”, destacou Greg Muttitt, diretor de pesquisa da Oil Change Internacional. “Isso não é compatível com o princípio da Responsabilidade Comum Porém Diferenciada. A IEA normalmente subestima a necessidade dos próprios países ricos reduzirem suas emissões, transferindo a carga para onde ela é menos merecida ”.

O “Cenário de Desenvolvimento Sustentável” (SDS) tem como objetivo descrever um caminho consistente com os objetivos do Desenvolvimento Sustentável. As vias de emissões descritas na SDS são mais ambiciosas do que as do NPS. Mas o relatório conclui que a SDS não corresponde aos objetivos do Acordo de Paris de manter o aquecimento bem abaixo de 2° C e objetivando 1,5° C:

  • Emissões sob a SDS ainda esgotam o orçamento de carbono de 1,5 ° C até 2023 e o de 2 ° C até 2040.
  • O perfil de emissões do SDS é equivalente ao Cenário 450 lançado anteriormente, que visava fornecer 50% de chance de limitar o aquecimento global a 2 ° C.

O relatório também considera que o investimento em petróleo e gás upstream recomendado pelo NPS, entre 78% e 96% – US$ 11,2 a 13,8 trilhões em relação a 2018-40 – é incompatível com as metas de Paris. O estudo argumenta que a IEA está minando os esforços para evitar níveis perigosos de mudança climática.

Muttitt acrescentou: “Precisamos redirecionar urgentemente esse capital para energia limpa. Qualquer outro curso de ação levará a uma mudança climática severa ou a uma ruptura econômica maciça, que prejudicará mais os países mais pobres. Precisamos que a IEA se concentre em um cenário alinhado com as metas de Paris, que está na frente e no centro do World Energy Outlook da IEA. ”

Notas

– A Oil Change International é um grupo de pesquisa e campanha que visa acelerar a transição de combustíveis fósseis para energia limpa.

– A IEA, com sede em Paris, é uma organização intergovernamental cujo objetivo declarado é “garantir energia confiável, acessível e limpa”.

– O World Energy Outlook da IEA é publicado em novembro. Oitenta por cento do relatório e quase todos os comunicados de imprensa estão focados no NPS, que levaria a 2,7 a 3,3 ° C de aquecimento.

Contatos para imprensa:

Adam Scott, Senior Campaigner at Oil Change International

Email: [email protected]

Phone: +1 416 347 3858

Greg Muttitt, Research Director at Oil Change International

Email: [email protected]

Phone: +44 7508 421 527

Tags
Ler matéria completa

Guiga Liberato

Meu nome é Guiga Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Meio Ambiente Rio com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: [email protected]

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close