Encadeamento Produtivo do agronegócio: governança catarinense planeja ações do projeto

0

O “Encadeamento Produtivo Cooperativa Aurora Alimentos – Sebrae: suínos, aves e leite” foi foco da primeira reunião de alinhamento das atividades após a expansão do programa para outros Estados, nesta semana, na sede do Sebrae/SC, em Chapecó. O encontro reuniu agovernança catarinense do programa, formada por representantes de entidades parceiras e de cooperativas filiadas à Aurora Alimentos. O objetivo foi avaliar as ações em andamento e planejar os próximos passos do projeto.

A reunião iniciou com explanação do vice-presidente da Cooperativa Central Aurora Alimentos, Neivor Canton, que abriu os trabalhos da governança em 2018, destacou o atual momento econômico e falou sobre os desafios do mercado. “Com a nacionalização, o programa ganha novo fôlego, o que possibilita vislumbrar um futuro que venha consolidar ainda mais a cadeia produtiva do agronegócio”.

A analista técnica do Sebrae/SC, Joselita Tedesco, apresentou as inovações de uma das soluções Sebrae/SC que agora traz a oficina de Resgate do Programa No Campo – De Olho na Qualidade Rural. O objetivo, segundo ela, é sensibilizar os participantes acerca da necessidade de fazer a  manutenção da aplicação do programa nas empresas rurais, visando a certificação no programa da Aurora Propriedade Rural Sustentável. A carga horária é de quatro horas presenciais.

O coordenador dos programas de qualidade da Aurora, Joel Pinto, falou sobre a programação da comemoração dos 50 anos da Aurora em abril do ano que vem. Segundo ele, uma das atividades inclui lançamento do livro que marcará os 20 anos dos Programas de Qualidade da Aurora durante a 7ª Edição do Prêmio Empreendedor Rural Cooperativista – Troféu Aury Luiz Bodanese. “Vamos comemorar o sucesso dos programas de qualidade (soluções que hoje fazem parte do Encadeamento Produtivo) e que foram essenciais para promover avanços nas propriedades com gestão eficaz e sustentável”.

O coordenador regional oeste do Sebrae/SC, Enio Albérto Parmeggiani,  falou sobre a importância de implantar o Encadeamento Produtivo em outros Estados e reconheceu o papel das parcerias para o êxito do programa. Também apresentou as soluções Sebrae, os custos, os aspectos que permitem a otimização dos recursos e resultados contratualizados entre o sistema Sebrae e a Aurora. “Destacamos, ainda, como será feita a utilização majoritária dos recursos destinados à inovação tecnológica em Santa Catarina que, a princípio, serão destinados ao setor lácteo. O recurso foi disponibilizado pela governança e plano de lácteos das cooperativas para 2018/2019”.

O coordenador estadual do Programa Dreikes Belatto destacou o bom andamento das atividades com ações alinhadas entre todos os envolvidos e realçou as expectativas para esta próxima fase do programa. “Esperamos para este a no obter resultados tão exitosos quanto os que conquistamos até o fim do ano passado. Com isso, teremos propriedades rurais sustentáveis e, consequentemente, produtos de qualidade em todas etapas de produção”.

PARCEIROS

Desenvolvido  em Santa Catarina com as parcerias do Senar/SC, Sescoop/SC, Sicoob, Fundação Aury Luiz Bodanese, Cooperalfa, Itaipu, Auriverde, Coolacer, Copérdia, Caslo, Cooper A1, Coopervil e Cooper Campos.

Nacionalizado neste ano, a estratégia do Sebrae está em fase de implementação também nos Estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul, o que oportunizará a capacitação de famílias que atuam em aproximadamente duas mil propriedades rurais nos próximos dois anos. No Rio Grande do Sul, já conta com a parceria da Alfa, A1 e Copérdia, e os parceiros do Sicredi/RS. No Paraná, podem participar as cooperativas Alfa, Copérdia, Camisc, Cocari, e no Mato Groso da Sul, Coasgo e Alfa. No RS e MS, o programa também ocorrerá por meio das parcerias dos Estados e sob a coordenação das unidades Federativas do Sistema Sebrae, no escopo de atendimento individualizado.

Deixe uma resposta