Economia

Projeto Agentes Locais de Inovação encerra atividades com expressivos resultados

Avaliar postagem!

O Programa Agentes Locais de Inovação (ALI) prevê a melhoria da competitividade a partir da inovação em Empresas de Pequeno Porte que atuam nos setores da indústria, comércio e serviços. São 30 meses de orientação e acompanhamento sem custos para o empreendimento. Nesta semana, cerca de 200 empresas do oeste catarinense concluíram o projeto e participaram do ato de encerramento, que contou com apresentação de cases, palestra e avaliação das atividades, em Chapecó.

O evento iniciou com explanação do coordenador regional oeste do Sebrae/SC, Enio Albérto Parmeggiani, que destacou a expressiva evolução nas empresas dos diferentes segmentos econômicos que participaram da iniciativa. “Observamos efeitos como redução de custos, aumento de vendas e faturamento de maneira a consolidar o negócio no mercado, entre outros aspectos. Entendemos que as empresas conseguiram inovar porque focaram nos resultados”.

O coordenador estadual do programa Dreikes Belatto complementa que os resultados foram fantásticos. “O objetivo foi incentivar ações de inovação e tecnologia nas empresas com foco para a sustentabilidade e aumento da competitividade dos negócios. Foi feito diagnóstico e análise do que pode melhorar e a empresa colocou em prática as ferramentas de inovação. Os resultados apontaram crescimento no faturamento, redução de custos, foco na organização e planejamento, melhora na área de marketing, entre outros”.

Caticia Rodrigues Maria, da Caty Modas de Ipuaçu, participou do programa pela segunda vez e foi uma das quatro empresárias que apresentou case de sucesso no evento. “Iniciamos as mudanças na empresa durante a primeira edição (2013 a 2015), o que gerou uma relação de confiança com o Sebrae e o próprio ALI. Concluímos a reforma e logo ingressamos no segundo projeto. Nessa fase, já estávamos conscientes dos pontos fortes e fracos, bem como das oportunidades e ameaças. Nos engajamos nas atividades aceitando as sugestões de melhorias. Procuramos outras alternativas de conhecimento que serviram como complemento, o que ajudou muito no aperfeiçoamento do trabalho em equipe”.

Segundo Caticia, a equipe está mais unida, motivada e em sintonia com os objetivos da empresa. “O principal desafio é aceitar o projeto. Aceitei, fui buscar as inovações e valeu a pena. Estou neste evento por gratidão e porque isso abre outras portas”, enfatiza a empresária, destacando que iniciará em breve o Planejamento Estratégico.

Também apresentaram seus cases as empresárias: Bianca V. Souto (Centrão Auto Peças de Chapecó), Kelly C. B. Bernardi (Personalize Móveis de Chapecó) e Maria Lucia Calvetti (Espaço Fino Cortinas e Decorações ME).

A programação incluiu, ainda, palestra com o tema “Tempo de inovar” ministrada pelo consultor credenciado ao Sebrae/SC Luciano Pinheiro e relato das atividades feitas pelas agentes bolsistas do CNPq que acompanharam as atividades visando promover a prática continuada de ações de inovação nas empresas de pequeno porte, por meio de orientação proativa e personalizada.  A ALIs que atuaram em Chapecó foram: Ângela Lusa LodiAndréia FigueirolaEmanoela Matiello e Mariane Soligo. A consultora sênior que acompanhou o projeto foi Jacqueline Ferreira Gomes e a gestora local do projeto é Mariele Musskopf.

Ler matéria completa

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close