Destaques

As ondas de calor do oceano aumentaram mais de 50% desde 1925

Avaliar postagem!

As ondas de calor oceânicas aumentaram em 54% desde 1925, representando uma grande ameaça para os ecossistemas aquáticos. Em um estudo publicado na revista Nature Communications, os pesquisadores delinearam a causa e os efeitos das ondas de calor subaquáticas e seu impacto futuro nos oceanos do mundo. Segundo os pesquisadores, “essas tendências podem ser explicadas em grande parte pelo aumento da temperatura média dos oceanos, sugerindo que podemos esperar novos aumentos nos dias de ondas de calor marítimas sob aquecimento global contínuo”. À medida que níveis mais altos de gases de efeito estufa se concentram na atmosfera, maiores quantidades de energia solar radiação estão presos na Terra – 95 por cento dos quais são absorvidos pelo oceano.

ondas de calor do oceano
ondas de calor do oceano / foto: inhabitat

Assim como a relação entre o clima extremo e o aumento das temperaturas na terra, à medida que a temperatura média oceânica média aumenta, também aumenta a probabilidade de eventos de aquecimento oceânico extremo. Como a água é capaz de suportar mais calor do que a terra, esses eventos extremos de temperatura duram mais do que aqueles causados ​​por temperaturas do ar mais altas. Um exemplo recente ocorreu em 2015, quando as temperaturas oceânicas do México ao Alasca aumentaram até 10 graus acima da média. Cinquenta mortes documentadas de baleias foram registradas neste período, e muitos outros animais marinhos sofreram com a água excepcionalmente quente.

Para conduzir o estudo, a equipe de pesquisa reuniu e analisou dados sobre as temperaturas da superfície do mar do século passado, com décadas recentes produzindo os dados mais precisos. Dado que os dados mais úteis são de um período de tempo tão curto, a equipe não conseguiu estabelecer explicitamente um nexo causal entre a mudança climática antropogênica e as ondas de calor oceânicas. Eles explicaram que as flutuações podem ser devidas a mudanças de temperatura naturais. No entanto, os pesquisadores concluíram que o notável aumento na temperatura oceânica média é absolutamente afetado pela mudança climática . Os cientistas estão mais preocupados que – em combinação com outras pressões, como a acidificação, a sobrepesca e a poluição – ecossistemas frágeis possam atingir um ponto de inflexão pelas ondas de calor oceânicas e, finalmente, entrar em colapso.

Tags
Ler matéria completa

Guiga Liberato

Meu nome é Guiga Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Meio Ambiente Rio com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: [email protected]

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close