Alexa grava uma conversa e envia para outro usuário

1

Hoje uma estranha notícia surgiu nas redes sociais a respeito do assistente virtual da Amazon, o Alexa. Uma usuária de Portland identificada apenas como Danielle procurou o suporte da empresa após o sistema não apenas ter gravado uma conversa sem autorização, mas também enviado o áudio para um contato aleatório de sua lista de contatos.

O Amazon Alexa funciona por comandos de voz oferecendo recursos para criar listas, programar alarmes, informações de tráfego e temperatura, tocar músicas e fazer pesquisas rápidas. Um serviço eficiente para toda a família, começou a fazer parte da rotina de muitas casas desde 2014 quando foi criado.

Mas a americana realmente passou por momento de pânico quando um colega de trabalho de seu marido ligou para eles alertando para desligarem todos os aparelhos conectados ao Alexa imediatamente, uma vez que ele controlava até o aquecedor da casa. O indivíduo explicou que recebeu em seu telefone trechos de conversas da casa sem qualquer explicação.

“Claro que não acreditamos” Disse Danielle ao canal Kiro 7. “Mas então ele nos narrou uma conversa sobre pisos de madeira que tivemos dias atrás.” Comprovando o recebimento dos áudios, a família entrou em contato com a Amazon exigindo alguma explicação para o ocorrido.

“Eu e meu marido costumávamos brincar que com certeza esses dispositivos estavam nos escutando” acrescentou a cliente. “Me senti invadida, uma total falta de privacidade. Prometi que nunca mais ligaria esse aparelho novamente, não posso confiar nele.”

Eles entraram em contato repetidamente com a Amazon até que seus engenheiros resolvessem verificar o que aconteceu. “Ele disse que foram atrás de nossos registros, viram exatamente o que nós contamos que aconteceu e pediram mil desculpas. Ele se desculpou 15 vezes dentro de 30 minutos e disse que agradecia termos entrado em contato pois era algo que não deveria acontecer.”

De acordo com um comunicado oficial da Amazon:

“O Echo acordou por meio de alguma palavra na conversa que parecia com ‘Alexa’. Então a continuação do diálogo foi interpretado como um pedido de ‘enviar a mensagem’. Nesse ponto Alexa teria dito em voz alta ‘Para quem?” e algo na conversa indicou um nome da lista de contatos. Alexa teria respondido novamente com ‘[nome do contato], certo?’ e mais uma vez interpretou errado alguma palavra como ‘certo’. Por mais improvável que essa série de eventos seja, estamos avaliando opções para tornar essa situação ainda mais impossível”

Danielle diz que pediu um reembolso total para a empresa, que não parece disposta a aceitar.

No início do mês a Amazon teve outro problema envolvendo o Alexa, diversos usuários reportaram que o aparelho teria começado a rir sem comando algum. Diversos tweets e vídeos de ocorrências correram pela internet e só no dia 7 de maio a empresa se pronunciou pelo erro.

De acordo com eles, estão trabalhando em mudanças para evitar que esses incidentes continuem. Ao invés da risada ser ativada pelo comando “Alexa, ria”, ela seria acionada pela frase “Alexa, você poderia rir?”. Desta forma planejam evitar os “falsos positivos” que estariam disparando a gargalhada. A resposta também será alterada para “Claro, eu posso rir” seguido da risada, para evitar os sustos que a função tem dado aos usuários.

Embora seja uma ferramenta realmente útil para a rotina da casa, é preciso lembrar que se trata de uma tecnologia ainda em construção. Existe muito aperfeiçoamento a ser feito, e a Amazon trabalha arduamente para melhorar o seu serviço. Claro, estamos sujeitos a levar alguns sustos utilizando tecnologias como essas, então é necessário ficar atento aos comunicados oficiais da empresa e lembrar de sempre manter o dispositivo atualizado.

Por outro lado, o avanço evidente na capacidade de tomada de decisões das chamadas Inteligências Artificiais assusta um pouquinho quem cresceu assistindo filmes como O Exterminador do Futuro, Matrix e tantos outros. Esperamos que, ao contrário do que acontece nestas obras, as IAs prefiram continuar trabalhando a nosso favor. Por enquanto, não há grandes motivos para se preocupar.

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta