Presidente da Federação da Agricultura da Bahia conhece trabalho da ATeG Leite em SC

0

O Estado da Bahia foi pioneiro na adesão ao Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR). Em visita ao Estado de Santa Catarina, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária da Bahia (FAEB) Humberto Miranda Oliveira conheceu de perto o trabalho desenvolvido no território catarinense na bovinocultura de leite, o qual é destaque no Brasil. As visitas ocorreram a produtores rurais da região oeste e extremo oeste, duas das grandes produtoras de leite no Estado.

O trabalho de Assistência Técnica e Gerencial iniciou no SENAR em 2016 com o objetivo de proporcionar aumento da produção, evolução na produtividade e no nível de gestão, além do incremento da renda líquida em propriedades rurais. O programa conta com a participação de aproximadamente 950 produtores da região oeste, meio oeste e extremo oeste, somente no convênio MAPA/Leite. O SENAR/SC tem 38 técnicos de campo e três supervisores técnicos, além da estrutura de apoio dos Sindicatos Rurais da região e dos supervisores administrativos.

O presidente da FAEB afirmou a satisfação em ver os resultados alcançados em Santa Catarina. “O Estado é referência para o País, está entre os quatro principais produtores de leite e emprega tecnologia na gestão das propriedades rurais. É nítida a eficiência do programa e os avanços identificados tanto no que diz respeito ao aumento da produtividade como da rentabilidade e qualidade de vida”.

Segundo Oliveira, os resultados obtidos no território catarinense servem de exemplo e incentivo para a Bahia. “São realidades distintas, mas com certeza levaremos relatos positivos para motivar os produtores de leite em nosso Estado. A ATeG tem sido uma importante ferramenta na expansão da cadeia produtiva do leite”, salientou.

Conforme dados do SENAR/BA, a ATeG em bovinocultura de leite atende 984 produtores rurais e conta com a atuação de 58 técnicos de campo. Os resultados alcançados até o momento foram aumento da produtividade e da renda. Em 2016 a produção média das propriedades atendidas era de 1.643 litros e em 2017 chegou a 2.530 litros.

O superintendente do SENAR/SC, Gilmar Antônio Zanluchi, também acompanhou as visitas e relatou a satisfação com a troca de experiências. “O SENAR é relativamente novo na assistência técnica e gerencial e esse networking com as demais regiões atendidas é fundamental para que, além de alinhar as ações do programa, possamos identificar como podemos melhorar a atuação para atingir de forma exitosa os objetivos elencados pelo programa. A experiência que o Sistema FAEB e Senar Bahia possuem é enriquecedora e serve como modelo para Santa Catarina e as demais regiões”.

De acordo com o presidente do Sistema FAESC/SENAR-SC, José Zeferino Pedrozo, é uma honra para Santa Catarina receber um importante líder da agropecuária brasileira como o presidente da FAEB. “A intenção é de que possamos estreitar os laços e trabalhar em favor dos produtores rurais, identificando como podemos agir de forma conjunta para melhorar a produção, renda e qualidade de vida, incentivando a permanência no meio rural. O setor primário é a locomotiva do Brasil, por isso priorizamos por essa troca de experiências para que possamos cada dia mais crescer”, reforçou.

GESTÃO RURAL

A ATeG oferece mensalmente aos produtores rurais visitas técnicas e gerenciais. Cada técnico atende o produtor com foco na transmissão de conhecimentos relacionados à gestão da empresa rural e técnicas de manejo voltadas às atividades de cada propriedade rural.

Durante as visitas são transmitidas metodologias sobre cálculo de custos de produção, indicadores e análise de dados para planejamento estratégico conforme os pontos fortes e fracos de cada propriedade. As informações são lançadas em um software utilizado nacionalmente e que abriga dados de propriedades de todo o País. A partir deste software, os empresários rurais têm acesso aos indicadores gerenciais de sua propriedade auxiliando nas tomadas de decisões para melhorar a sua rentabilidade.

A intenção é melhorar o desenvolvimento das propriedades catarinenses. Toda a cadeia produtiva é assistida, desde genética, manejo adequado, melhoria da alimentação e também das instalações das propriedades. A ATeG representa um avanço na capacitação dos produtores rurais, preparando-os para a condução das atividades com uma visão empresarial e o emprego de avançadas técnicas de gestão e controle.

A metodologia de assistência técnica e gerencial está fundamentada em cinco etapas, que envolvem todo o processo a ser aplicado no desenvolvimento da propriedade rural atendida. São elas: diagnóstico produtivo individualizado, planejamento estratégico, adequação tecnológica, capacitação profissional complementar e avaliação sistemática de resultados.

Deixe uma resposta