Meio Ambiente

Sindiplasc participa de Fórum Brasileiro de Reciclagem

O presidente e o vice-presidente do Sindicato da Indústria do Material Plástico e Artefatos de Borrachas do Oeste Catarinense (Sindiplasc), entidade vinculada à Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), Djalma Velho de Azevedo e Alceu Lorenzon, participaram, na última semana, do Fórum Brasileiro de Reciclagem Energética de Resíduos Sólidos com Ênfase em Plásticos (Energiplast), que aconteceu em Porto Alegre-RS. O evento foi promovido pelo Comitê de Reciclagem do Sinplast-RS e teve objetivo de apresentar alternativas de valorização de resíduos sólidos urbanos (RSU) para geração de energia em todas as suas formas.

Com o tema “A energia do plástico para a vida sustentável”, o evento foi uma oportunidade de debate entre profissionais e sociedade sobre temas específicos da área. De acordo com Lorenzon, é preciso incentivar não apenas a reciclagem, mas também o consumo de reciclados entre a população. Ele observou que existem, atualmente, dezenas de projetos de lei contra o plástico. “O que precisamos são projetos e ações que incentivem a reciclagem. O vilão não é o plástico, é o descarte incorreto”, enfatizou.

Entre os temas abordados durante o evento ocorreu apresentação de novas tecnologias nos cenários nacional e internacional, a implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), reciclagem, sistema de geração de energia renovável e sustentável, tendências tecnológicas no processo de extrusão na reciclagem de plásticos, recuperação energética de resíduos e sistema de reciclagem de RSU com separação automatizada.

O Fórum foi marcado pela presença de debates de diversos setores, como o deputado federal Carlos Gomes, presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Cadeia de Reciclagem, de representante do Ministério Público que abordou sobre o cumprimento dos acordos setoriais, além de representante da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), que apresentou projetos de desoneração do setor de resíduos no Brasil.

Como debatedor, representando a Câmara Nacional dos Recicladores, Alceu Lorenzon se manifestou em apoio ao pronunciamento do Ministério Público, pela judicialização da obrigatoriedade do cumprimento da PNRS e propôs ao presidente da Frente Parlamentar da Reciclagem o encaminhamento, ao Executivo federal, de uma proposta de Medida Provisória do presidente da República promovendo imediata desoneração, benefícios e incentivos ao setor da reciclagem.

Sobre a apresentação da Abiquim, Lorenzon cobrou da entidade, pelos posicionamentos em prejuízo de todo o setor da reciclagem e da PNRS, alegando que a reciclagem no Brasil é mecânica e nada tem a ver com o setor petroquímico, que o setor da reciclagem não foi beneficiado pela desoneração da folha de pagamentos, devido a interferência contrária do setor petroquímico e que a proposta do GT3, da Abiplast e da CNI, por tratamento diferenciado do setor, só não foi aprovada por mais uma interferência contrária da Abiquim, que defende equivalência no tratamento tributário com os recicladores. Segundo Lorenzon, a entidade está praticando uma grande injustiça e discriminação com todos os empresários do setor da reciclagem.

Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close