EntretenimentoLançamentos Netflix

Gente de Bem Netflix: Filme fala sobre a crise de meia idade

Filme Netflix explora um personagem masculino que sofre com a despedida da juventude

Não é de hoje que o cinema, em especial o independente e de baixo orçamento, explora personagens masculinos que estão sofrendo com uma juventude distante. É esse o caso de filmes como O Homem Irracional, dirigido por Woody Allen, em 2015, e de Enquanto Somos Jovens, de Noah Naumbach, em 2014. Agora, em Gente de Bem, um filme original Netflix, a crise de meia idade chega também para o streaming.

Em Gente de Bem, Andres (Ben Mendelsohn) é um homem que está sofrendo com os seus quarenta anos de idade. Divorciado da esposa há seis meses, Andres sofre com uma crise pessoal que passa também por uma crise financeira.

O início do filme dá o tom nostálgico que a produção percorre sob a direção de Nicole Holofcener, que dirigiu Amigas com Dinheiro, em 2006, e Sentimento de Culpa, em 2010.

Andres surge como um protagonista amargo que não está nada feliz com as próprias decisões que tomou. Ele parece arrependido não apenas de ter se separado de sua esposa, mas também de ter largado o seu emprego e de sua relação com o filho Preston, interpretado por Thomas Mann.

A amargura de Andres é bastante explorada no filme, o que pode parecer cansativo para o espectador menos paciente. O tom melancólico não abandona o filme em nenhum momento, dando espaço para reflexões existenciais que nem sempre nos levam para algum lugar.

Thomas Mann em Gente de Bem Netflix

Em dado momento, Andres conversa com um dos amigos de seu filho, Charlie, e o diálogo sobre um homem que construiu o próprio foguete quer fazer refletir, mas não emociona. Alguns diálogos do filme realmente não cumprem com a intenção de sensibilizar o espectador, servindo apenas para dar maiores tons para a amargura do protagonista.

Como já é de costume em filmes sobre crises de meia idade, o protagonista também está lidando com a diminuição de seu apetite sexual. Andres está lidando com a impotência, mas ela não é tão abordada no filme, tendo uma função que é mais simbólica do que efetivamente autêntica.

Gente de Bem Filme Netflix

O filme melhora nas cenas em que explora a relação de Andres com seu filho Preston. Quando o roteiro se esforça para abordar essa relação distante entre pai e filho, o filme evolui o seu drama tímido e nos dá a sensação de que há algo bastante sensível ali. Da parte de Andres, a sensação de que perdeu as oportunidades de ser jovem e de ser um bom pai. Da parte de Preston, os desafios de lidar com uma juventude tardia e o medo do futuro.

Charlie, um dos amigos de Preston, é outro bom personagem do filme. Ele surge como o elemento de conexão de Andres com o jovem que ele foi um dia. Um acontecimento envolvendo o personagem faz o filme melhorar em seus últimos trinta minutos.

O filme também encontra tempo para colocar Andres em uma tentativa de retorno para uma vida amorosa regular. Assim como a maioria dos quarentões nesse tipo de filme, Andres luta com a própria impotência ao investir em um novo romance.

No filme, as figuras femininas não são tão exploradas quanto as masculinas, mas o roteiro ainda encontra tempo para refletir, ainda que discretamente, sobre a relação das mulheres com os livros de autoajuda por exemplo. Relação essa que não é compreendida pelo protagonista.

Outros pontos razoavelmente explorados pelo roteiro também merecem destaque, como o apego do personagem pela decoração de Natal que remete à sua antiga vida familiar e as madrugadas que o protagonista passa assistindo vídeos caseiros que ilustram uma vida que ele já não tem mais.

Se você gosta de dramas em tons mais mornos, que mais refletem sobre a vida do que levam as trajetórias de seus personagens para consequências atenuantes, o original Netflix Gente de Bem é uma boa dica de filme para o seu final de semana.

Gente de Bem Netflix

 

Sinopse: Depois de largar a esposa e o emprego, Andres parte em uma jornada para reconstruir a sua vida e, especialmente, a relação com o seu único filho, Preston.

Duração: 100 minutos

Classificação Etária: 16 anos

Ano de Lançamento: 2018

Gênero: Drama Familiar

Esse filme contém: Relações Familiares, Reflexões sobre a vida, Pais e Filhos

Raigor Ferreira

Olá! Eu sou o Raigor. Sou escritor de livros infanto-juvenis desde 2014 e redator nas horas ocupadas. Autêntico canceriano e apaixonado pela escrita desde que aprendi a ler com quatro anos, escrevo sobre celebridades, séries e filmes aqui no Meio Ambiente Rio. Eu amo esse universo e se quiser entrar em contato comigo, escreva pararaigorbooks@gmail.com

Tags
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close