Meio Ambiente

Alimentos saudáveis ​​podem beneficiar pessoas com HIV e diabetes

A dieta mediterrânea, carregada com frutas e vegetais frescos, proteínas magras e gorduras saudáveis ​​por seis meses pode beneficiar pessoas com HIV e diabetes tipo 2.

De acordo com pesquisadores, por meio de alimentos saudáveis ​​e lanches, as pessoas seropositivas eram mais propensas a aderir aos seus regimes de medicação e as pessoas com diabetes tipo 2, estavam menos deprimidas e menos propensas a fazer concessões entre alimentos e cuidados de saúde.

O estudo, que apareceu on-line no Journal of Urban Health, foi concebido para avaliar se as pessoas ajudam a obter medicamente apropriado, nutrição abrangente iria melhorar a sua saúde.

“Vimos melhorias significativas na segurança alimentar e nos resultados relacionados com os três mecanismos através dos quais postulamos insegurança alimentar pode afetar o HIV e diabetes saúde – nutrição, saúde mental e comportamental”, disse Kartika Palar da Universidade da Califórnia – San Francisco.

“Vimos melhorias dramáticas na depressão, o sofrimento de ter diabetes, diabetes auto-gestão, negociação entre alimentos e cuidados de saúde e adesão à medicação para o HIV”, acrescentou Palar.

Eles incluíram 52 participantes no estudo.

Eles descobriram que o número de pessoas com diabetes que alcançaram um ótimo controle de açúcar no sangue aumentou e diminuiu nas internações ou visitas ao serviço de emergência, mas essas mudanças não alcançaram significância estatística. Os participantes com diabetes também consumiram menos açúcar e perderam peso.

Os pesquisadores seguiram os participantes durante seis meses e descobriram que consumiam menos gorduras, enquanto aumentavam o consumo de frutas e verduras.

No geral, aqueles no estudo tiveram menos sintomas de depressão e foram menos propensos a beber compulsivamente. Para aqueles com HIV, a adesão à terapia anti-retroviral aumentou de 47 para 70 por cento.

As refeições e lanches, que os participantes pegaram duas vezes por semana, foram baseados na dieta mediterrânea e apresentou frutas e vegetais frescos, proteínas magras, gorduras saudáveis ​​como azeite e grãos integrais.

“Este estudo destaca o papel vital que as organizações comunitárias de apoio alimentar podem desempenhar no apoio à saúde e bem-estar das populações cronicamente doentes que lutam para pagar as necessidades básicas”, disse o autor do estudo Sheri Weiser. (ANI)

meioambienterio.com

Tags
Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close