79 Nações em Desenvolvimento Comprometem-se a Defender Acordo de Paris

A União Europeia e 79 países da África, das Caraíbas e do Pacífico comprometeram-se a defender e implementar o Acordo de Paris sobre as alterações climáticas, no âmbito das últimas conversações da ONU sobre alterações climáticas em Bona, na qual a UE explicou tentativamente que “avanços tangíveis” As duas últimas semanas.

A última conferência da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas (UNFCCC) reuniu-se em Bonn, Alemanha, entre 8 e 18 de Maio. Numa nota publicada no último dia de conversações, a União Europeia declarou que “foram realizados progressos tangíveis em vários elementos para a implementação do Acordo de Paris” e “congratulou-se com o importante trabalho técnico e prático realizado na conferência”. , Sem surpresas, apesar do progresso, “ainda há muito a fazer para nos colocar no caminho para cumprir os compromissos de Paris”.

“Viemos aqui para Bonn para avançar o nosso trabalho sobre as regras e instrumentos para implementar o Acordo de Paris”, disse o Comissário para a Acção Climática e Energia, Miguel Arias Cañete . “Saímos de Bonn com progressos firmes em muitas áreas. E enquanto ainda há muito trabalho pela frente, as negociações cooperativas e os resultados tangíveis mostram mais uma vez a firme determinação de todos nós de transformar nossos compromissos em ação real “.

No entanto, talvez de maior importância foi outro anúncio, no qual os 28 (que em breve serão 27) Estados-Membros da União Europeia e 79 países de África, Caraíbas e Pacífico (ACP) em desenvolvimento – que juntos compõem mais de metade dos signatários do Acordo de Paris – comprometeram-se a assegurar a plena aplicação do Acordo de Paris de 2015.

“Hoje mais do que nunca, a Europa está ao lado de seus parceiros de longo prazo mais vulneráveis ​​às mudanças climáticas”, disse Miguel Arias Cañete. “Nós, países desenvolvidos e em desenvolvimento juntos, defenderemos o Acordo de Paris. Estamos todos em, eo nosso compromisso comum a este Acordo hoje é como em Paris: irreversível e não negociável “.

A União Europeia também prometeu 800 milhões de euros para apoiar a região do Pacífico até 2020, metade dos quais destinada à acção climática.

“A longa e contínua cooperação entre o Grupo ACP e a UE mostra que estamos a sério para lidar com os impactos das alterações climáticas “, acrescentou o secretário-geral ACP, Patrick Gomes . “Implementar o Acordo de Paris não é apenas garantir a sobrevivência dos 79 países ACP, mas também construir economias e sociedades sustentáveis, resistentes e prósperas em todo o mundo”.

Sobre o autor | Website

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Meio Ambiente Rio com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.