Meio AmbienteVagner Liberato

Quênia introduz lei mais dura do mundo para os sacos plásticos

Mas outras pessoas apontam para o custo ambiental dos sacos de plástico: pode demorar entre 500 e 1.000 anos para se decompor na natureza.

Avaliar postagem!

O Quênia tem sido um grande exportador de saco de plástico – mas agora o país está atacando a poluição plasmática com a lei mais rígida desse tipo no mundo. Os quenianos que vendem, produzem ou apenas usam sacolas de plástico podem enfrentar uma multa de US $ 40.000 ou prisão de até quatro anos.

A lei do saco de plástico do Quênia entrou em vigor apenas nesta semana. Segundo a Reuters, o país da África Oriental reúne-se em mais de 40 países em todo o mundo que proibiram, parcialmente proibiram ou impuseram impostos sobre sacos plásticos de uso único, como Ruanda, Itália e China. De acordo com a nova lei do Quênia, a polícia pode abordar qualquer pessoa que transporta uma bolsa de plástico, embora o ministro do meio ambiente , Judy Wakhungu, tenha dito que a imposição da Reuters inicialmente priorizaria fornecedores e fabricantes e que o homem comum “não será prejudicado”.

Nem todos estão felizes com a nova lei, que levou o Quênia mais de 10 anos – e três tentativas – de passar. O porta-voz da Associação dos Fabricantes do Quênia, Samuel Matonda, disse que 176 fabricantes terão que fechar, com cerca de 60 mil postos de trabalho perdidos.

Mas outras pessoas apontam para o custo ambiental dos sacos de plástico: pode demorar entre 500 e 1.000 anos para se decompor na natureza. E os sacos têm aparecido em vacas destinadas ao consumo humano. Em matadouros em Nairobi, algumas dessas vacas tinham 20 sacos tirados do estômago. O veterinário do condado Mbuthi Kinyanjui disse: “Isso é algo que não conseguimos há 10 anos, mas agora é quase em uma base diária”.

O Quênia limita o Oceano Índico, e sacos plásticos podem entrar no oceano e acabar consumidos por baleias e golfinhos, que finalmente morrem quando seus estômagos se enchem de lixo. As bolsas podem estrangular ou sufocar criaturas marinhas como tartarugas e aves marinhas. O plástico também acaba em peixes depois comido por humanos. O especialista em lixo marinho Habib El-Habr, trabalhando com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente no Quênia, disse: “Se continuarmos assim, até 2050, teremos mais plástico no oceano do que nos peixes”.

Cadeias de supermercados no Quênia, como Nakumatt e Carrefour, começaram a oferecer bolsas de pano como alternativas ao plástico para clientes.

Pela Reuters

Imagens via Pixabay e Wikimedia Commons

Tags
Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro.
Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável.
Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer!

Para falar comigo, entre em contato pelo email:
contato@meioambienterio.com

Artigos relacionados

1 thought on “Quênia introduz lei mais dura do mundo para os sacos plásticos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close