Meio AmbienteSaúde e Bem estarSustentabilidadeVagner Liberato

Fibras plásticas são encontradas em mais de 80% das amostras de água da torneira dos cinco continentes

Avaliar postagem!

Se você ingeriu um copo de água da torneira hoje, você provavelmente ingeriu uma boa quantidade de fibras plásticas, ou seja, você acabou de ingerir plástico. A Orb Media realizou uma investigação sobre o plástico em nossa água da torneira ao longo dos últimos 10 meses, e seus resultados foram chocantes: mais de 80 por cento das amostras que coletaram – em lugares como o edifício do Capitólio dos Estados Unidos ou as margens do Lago Victoria, em Uganda, continham fibras de plástico.

Fibras plásticas são encontradas em água da torneira dos cinco continentes

Os autores do estudo dizem que estamos vivendo na Era Plástica – e a contaminação provavelmente não está limitada à nossa água.

“Produzimos mais plástico nos últimos 10 anos do que em todo o século passado”

A Orb Media e um pesquisador da Escola de Saúde Pública da Universidade de Minnesota examinaram as fibras plásticas na nossa água da torneira para o relatório, intitulado Invisibles, para o que a Orb Media descreveu como o “primeiro estudo científico público desse tipo”. Os micro plásticos que contaminam nossa água vêm de uma variedade de fontes, desde roupas sintéticas até poeira de pneus e utensílios de plástico. De acordo com a Orb Media, “produzimos mais plástico nos últimos 10 anos do que em todo o século passado”. Eles disseram que os especialistas disseram que os plásticos também estão em sua comida – como fórmulas molhos ou cerveja artesanal entre outros.

Fibras plásticas
Fibras plásticas (Foto: internet)

Os autores da pesquisa testaram a água da torneira nos Estados Unidos, Europa, Indonésia, Índia, Líbano, Uganda e Equador. Os Estados Unidos tiveram a maior quantidade de plásticos em suas águas em 94 por cento das amostras; os pesquisadores detectaram as fibras na sede da Agência de Proteção Ambiental, edifícios do Congresso e Trump Tower em Nova York. O Líbano e a Índia apresentaram as maiores quantidades de contaminação. A Europa tinha o mínimo – mas os plásticos ainda eram encontrados em 72 por cento das amostras lá.

É fácil culpar os sistemas de tratamento de resíduos ou de tratamento de esgoto. Mas um professor de biologia marinha disse que os designers também têm um papel a desempenhar. O Decano Associado de Pesquisa da Universidade de Plymouth, Richard Thompson, disse à Orb Media: “Os plásticos são intrinsecamente recicláveis. O que está nos impedindo de reciclar eu argumentaria, é inadequado, inapropriado ou … falta de uma devida consideração no estágio de design para o que acontecerá ao final da vida”.

“É culpa nossa”.

Via Orb mídia por e The Guardian

Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro.
Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável.
Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer!

Para falar comigo, entre em contato pelo email:
contato@meioambienterio.com

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close