Reportagem

Califórnia registra a temperatura mais quente do oceano em um século

Pesquisadores da Institution of Oceanography registraram a temperatura mais quente da superfície do mar em mais de cem anos perto de um píer em San Diego. O Instituto, afiliado à Universidade da Califórnia, San Diego, coleta dados sobre a temperatura da superfície do mar no Ellen Browning Scripps Memorial Pier desde 1916. O nível de 2018 superou um recorde incomum de 1931 em 0,2 graus, chegando a impressionantes 78,6 graus Fahrenheit.

De acordo com um comunicado, “a região oceânica do sul da Califórnia tem experimentado temperaturas anormalmente quentes na semana passada, e outras redes de observação mais distantes da costa também registraram temperaturas recordes ou quase recordes”. A temperatura terá sérias implicações para a vida marinha e os ecossistemas marinhos. Por exemplo, poderia ajudar a criar uma proliferação de algas tóxicas, como a que se espalhou ao longo da costa do Pacífico Norte em 2014, alterando indefinidamente a biodiversidade da área. Essa flor teve um impacto devastador sobre os leões-marinhos e outros grupos de mamíferos marinhos, encerrou a pesca e empurrou espécies de águas-vivas e arraias para dentro da costa, causando um perigoso efeito dominó de cadeias alimentares alteradas.

Pier de San Diego na Califórnia
Pier de San Diego na Califórnia / Foto: Inahabitat

Em 2015, o El Niño alterou significativamente os níveis de temperatura da água na costa da Califórnia. No entanto, após tais fenômenos ambientais, as temperaturas da água do mar devem retornar às médias históricas. Desta vez, isso nunca aconteceu.

“É realmente estranho”, explicou Clarissa Anderson, uma pesquisadora, em entrevista à imprensa. “Temos registros diferentes que remontam a décadas e enquanto a temperatura [da água do oceano] está intimamente conectada ao equador, estamos vendo agora [as temperaturas] se estabilizarem no equador enquanto as temperaturas no sul da Califórnia continuam subindo.” Segundo os pesquisadores, a temperatura recorde é mais um sinal dos efeitos crescentes da mudança climática.

Aurélio Barbato é Administrador de Empresas e Economista, formado pela Faculdade de Ciências Econômicas de São Paulo, da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado especializado em Economia Sustentável, coordenou atividades, temas, discussões de políticas públicas e eventos importantes no setor da indústria eletroeletrônica. Para falar comigo envie um e-mail para aureliogestaoestrategica.com.br

Tags
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close