Movimentos sociais debatem o CAR

0

Seminário promove sensibilização, nivelamento e construção do Plano Nacional de Capacitação e Adesão para os agricultores familiares.

O Cadastro Ambiental Rural (CAR) está sendo discutido sob a perspectiva dos movimentos sociais. Os debates acontecem no Seminário Nacional de Sensibilização, Nivelamento e Construção de um Plano Nacional de Capacitação e Adesão ao Cadastro Ambiental Rural nas bases da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Fetraf). O evento vai até a próxima sexta-feira (10/07), na Cáritas Brasileira, em Brasília.

O seminário reúne 50 lideranças das federações de todos os Estados e do Distrito Federal, além de representantes do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Serviço Florestal Brasileiro (SFB), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e Fundação Ford.

TRABALHO CONJUNTO

Para o secretário de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável do MMA, Carlos Guedes, que participou da mesa de abertura do encontro, o diálogo é muito importante. “Com o aumento da participação dos movimentos na implantação do CAR, estamos colhendo os frutos de um trabalho conjunto com o Serviço Florestal”, disse.

Guedes explicou que a iniciativa segue a orientação da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, de tratar os diferentes de forma diferente. “Agindo assim, geramos condições para que os pequenos agricultores possam assumir os seus compromissos de regularização ambiental, presentes no Código Florestal”, acrescentou.

Durante o seminário, serão debatidos o marco legal do CAR; o andamento do cadastramento nos Estados; e os impactos da política de regularização ambiental no Brasil. Ainda na programação, o intercâmbio de experiências e um painel com parcerias estratégicas para mobilização, organização e implantação do cadastro pelos agricultores familiares.
ALCANCE DO CAR

Para o representante do MDA, Marenilson Batista, quando se implanta o CAR, não é apenas o cadastramento que está em pauta. “Estamos fazendo toda uma construção ambiental que vai trazer um ganho muito grande para o país”, explicou. “As pessoas vão ter outro olhar para a propriedade.”

O representante da Fetraf Ceará, Auri Júnior, afirmou que o CAR é uma realidade e uma agenda estratégica para o agricultor familiar. “Vai além do simples cadastramento, passa pela política de crédito, pela regularização fundiária e ambiental”, destacou.

Durante o evento, o diretor de Fomento do SFB, Carlos Eduardo Sturm, destacou que hoje mais de 50% da área cadastrável já está cadastrada e que, a cada mês, há um incremento muito significativo nos números. “Quarenta e dois por cento dos produtores que aderiram ao CAR declaram que querem aderir ao Programa de Recuperação Ambiental”, salientou. “Este é também um indicativo importante.”

Já Aurélio Vianna, oficial de Programas da Fundação Ford, lembrou que muitos enxergam o CAR como um dever, mas deveriam ver além. “O CAR, no fundo, é um direito, em um contexto mais amplo de implantação do Código Florestal”, evidenciou.

Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA)

Leia Também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.