Meio Ambiente

Risco de déficit cai para 1,2% no Sudeste/Centro-Oeste

Percentual recuou 50% em relação às projeções de junho do CMSE

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico reduziu pela metade o risco de qualquer déficit de energia nas regiões Sudeste e Centro-Oeste. Ele passou de 2,4% em junho para 1,2% este mês, com base nas 82 séries do histórico de vazões e no despacho das térmicas por ordem de mérito. Para o Nordeste, o risco continua zero.

O risco de faltar energia caiu pelo quinto mês consecutivo no Sudeste e Centro-Oeste, pelo critério das séries históricas. Considerando um cenário de despacho pleno das térmicas, a probabilidade também é zero nas três regiões.

Em nota divulgada nesta quarta-feira, 8 de julho, após reunião mensal, o comitê informa mais uma vez que apesar da situação climática desfavorável, o Sistema Interligado Nacional dispõe de condições estruturais para garantir o abastecimento de energia. A nota aponta para uma sobra estrutural de 8.213 MW médios para atender a carga, com base nas projeções de demanda e na previsão de entrada de novos empreendimentos para os próximos meses.

Em junho, à exceção da região sul, choveu abaixo da média em outras áreas do país. As afluências ficaram em 90% de média histórica no SE/CO; em 53% no NE; em 139% no Sul e em 96% no Norte. Segundo o CMSE, neste ano, já foram adicionados ao SIN 3.088 MW de capacidade instalada nova, quase metade dos 6.410 MW de capacidade de geração previstos para 2015.

Canal Energia

Sobre o autor | Website

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Meio Ambiente Rio com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.