Meio Ambiente

Risco de déficit cai para 1,2% no Sudeste/Centro-Oeste

Percentual recuou 50% em relação às projeções de junho do CMSE

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico reduziu pela metade o risco de qualquer déficit de energia nas regiões Sudeste e Centro-Oeste. Ele passou de 2,4% em junho para 1,2% este mês, com base nas 82 séries do histórico de vazões e no despacho das térmicas por ordem de mérito. Para o Nordeste, o risco continua zero.

O risco de faltar energia caiu pelo quinto mês consecutivo no Sudeste e Centro-Oeste, pelo critério das séries históricas. Considerando um cenário de despacho pleno das térmicas, a probabilidade também é zero nas três regiões.

Em nota divulgada nesta quarta-feira, 8 de julho, após reunião mensal, o comitê informa mais uma vez que apesar da situação climática desfavorável, o Sistema Interligado Nacional dispõe de condições estruturais para garantir o abastecimento de energia. A nota aponta para uma sobra estrutural de 8.213 MW médios para atender a carga, com base nas projeções de demanda e na previsão de entrada de novos empreendimentos para os próximos meses.

Em junho, à exceção da região sul, choveu abaixo da média em outras áreas do país. As afluências ficaram em 90% de média histórica no SE/CO; em 53% no NE; em 139% no Sul e em 96% no Norte. Segundo o CMSE, neste ano, já foram adicionados ao SIN 3.088 MW de capacidade instalada nova, quase metade dos 6.410 MW de capacidade de geração previstos para 2015.

Canal Energia

Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close