Reportagem

A moda vegana é realmente ruim para o meio ambiente

As pessoas que evitam peles e outros materiais baseados em animais em roupas, acreditando que essa escolha consciente contribui para um ambiente e um planeta melhores, podem estar fazendo mais mal do que bem a longo prazo, dizem os especialistas.

Isso porque as roupas “vegan-friendly” são geralmente feitas de fibras sintéticas que, na maioria das vezes, são derivadas de petróleo e outros componentes ambientalmente hostis que criam uma enorme quantidade de poluição. Como esses materiais artificiais não são biodegradáveis ​​como os naturais, geralmente são negativos quando se trata de seu impacto ambiental.

O outro grande problema com têxteis sintéticos e livres de animais é que eles não duram tanto quanto, digamos, o couro – o que significa que muito mais desses materiais tem que ser fabricado, e muito mais frequentemente, criando material em excesso. resíduos que são altamente prejudiciais ao meio ambiente.

Muito disso decorre de uma crença equivocada entre muitos ambientalistas de que evitar os animais é automaticamente “bom” para o meio ambiente, e que escolher alternativas sintéticas é muito mais sustentável ou “verde”. Mas esse não é o caso.

“Nós temos esses dois problemas – bem-estar animal e consumo excessivo de plástico – que estão surgindo uns contra os outros”, diz Sydney, consultora de moda sustentável da Austrália, Clara Vuletich, citado pela New Scientist.

Algo como a lã de ovelha natural – um recurso renovável, visto que ela continuamente reaparece nos corpos dos animais – é na verdade um dos materiais mais ecológicos do mundo. É sustentável, dura muito tempo e não polui o meio ambiente depois de ser descartado – o que não pode ser dito sobre muitas de suas alternativas, incluindo o algodão livre de animais.

“Talvez você pudesse usar uma jaqueta de algodão grossa e acolchoada, mas, mesmo assim, a agricultura de algodão normalmente usa muita água e pesticidas”, acrescenta Vuletich.

É hora de repensar a sustentabilidade, a amizade ambiental e o propósito dos animais

A questão dificilmente é em preto e branco, pois há boas maneiras de cultivar o algodão, assim como as formas ruins. O mesmo pode ser dito para materiais baseados em animais, como lã e couro, ambos podem ser produzidos humanamente sem criar um grande ônus ambiental.

Começa com o dogmatismo sem mente que diz que o animal é igual a “ruim” e que animal-livre é “bom”. Há obviamente muito mais do que isso, e é por isso que alguns na indústria da moda estão trabalhando para reformular o conceito. narrativa.

Uma empresa, conhecida como Mango, está fazendo exatamente isso. Sua linha de roupas Mango Committed é fabricada com uma variedade de materiais ecologicamente corretos que incluem algodão orgânico cultivado de forma sustentável, poliéster reciclado e até mesmo um produto conhecido como Tencel feito de fibra de madeira sustentável.

O algodão orgânico, acredite ou não, na verdade requer muito menos água que o algodão convencional – até 90% menos – sem mencionar o fato de que uma grande porcentagem de algodão convencional é geneticamente modificado (GMO), o que significa que ele deve ser pulverizado com produtos químicos de culturas mortais, a fim de gerar rendimentos rentáveis.

Voltando à questão do couro, é importante ter em mente que existem diferentes tipos de couro com diferentes graus de impacto ambiental. De acordo com o Índice de Sustentabilidade de Materiais Higgs, o couro bovino (vaca) é mais nocivo ao meio ambiente do que o couro de canguru, que na verdade é o material mais sustentável do índice.

Outro fator é o uso individual de roupas, já que algumas pessoas usam roupas por muito mais tempo do que outras. Determinar a sustentabilidade é, portanto, uma questão complicada, sem um padrão único para determinar o que é verdadeiramente “amigável” ao ambiente e o que não é.

“Uma vez que uma jaqueta sintética acaba em um aterro sanitário, serão anos para se decompor”, diz Lisa Heinze, Ph.D. e estudante da Universidade de Sydney, alertando que as métricas de sustentabilidade quase nunca levam em conta fatores importantes como este.

Sou um apaixonado por conteúdos sustentáveis, pelas belezas naturais e principalmente um carioca que ama o Rio de Janeiro de coração. Para falar comigo basta enviar um e-mail: contato@meioambienterio.com

Tags
Mostre mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close