Meio Ambiente

Programa Citricultura Nota 10 é lançado para incentivar produção de citros de mesa

IAC disponibilizará cerca de 60 variedades e porta-enxertos de citros para validação dos citricultores

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Instituto Agronômico (IAC), de Campinas, lança, com a presença do secretário Arnaldo Jardim, o programa Citricultura Nota 10, para incentivar a produção de citros de mesa, durante o evento Citros de Mesa: da produção à comercialização, que será realizado em 17 de julho de 2015, a partir das 8 horas, em Cordeirópolis, interior paulista. O programa é uma parceira entre o Centro de Citricultura IAC e pequenos e médios produtores de citros. A ideia é que sejam disponibilizadas cerca de 60 variedades e porta-enxertos de citros de mesa para serem validados pelos citricultores paulistas.

Arnaldo Jardim destaca que o objetivo do programa Citricultura Nota 10 é disponibilizar aos citricultores um conjunto de variedades selecionadas pelo programa de melhoramento genético do IAC e transferir conhecimento de manejo dos pomares. Os materiais têm aptidão para o mercado de fruta in natura. Eles serão validados em pomares semicomerciais, visando o desenvolvimento sustentável da citricultura de mesa no Estado de São Paulo e a maior competitividade para o citricultor. “A Secretaria, por meio do IAC tem desenvolvido pesquisas para aumentar a qualidade e a produtividade.

O governador Geraldo Alckmin nos orienta a sempre contribuir para a melhoria de resultados do agronegócio”, ressaltou o secretário.

O IAC disponibilizará aos interessados grupos de cultivares de laranja, laranja para NFC – usada para suco natural –  de baixa acidez, de umbigo, de polpa vermelha e sanguínea. Também serão oferecidos materiais de tangerina, tangerina tipo Ponkan, tipo Murcott, mexerica e lima ácida. “O IAC coloca à disposição dos interessados novos porta-enxertos que apresentam características como tolerância a seca ou doenças, como gomose, morte súbita e declínio”, explica Marcos Machado, pesquisador e diretor do Centro de Citricultura IAC, da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). As variedades e porta-enxertos são interessantes para o desenvolvimento de uma citricultura sustentável, com redução no uso de agrotóxicos, que leva a melhoria na qualidade ambiental e na saúde do produtor e consumidor.

Jornal da Fruta

Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close