Meio Ambiente

Técnicas de Recuperação de Pastagens Degradadas na Amazônia

Com o objetivo de desenvolver inovações tecnológicas para recuperação de pastagens degradadas na Amazônia brasileira, esse projeto envolve todas as unidades da Embrapa na região Norte, além de outras unidades da região Centro-Oeste.

Como resultado, espera-se que sejam disponibilizadas soluções tecnológicas que envolvam métodos de plantio de forrageiras, com plantio direto, consórcio de forrageiras com culturas anuais, e alternativas para driblar problemas como infestação de plantas daninhas, de insetos-pragas e da baixa fertilidade do solo. Além disso, será feito um grande esforço para organizar a informação produzida sobre o tema nos últimos 40 anos na região.

A degradação de pastagens cultivadas é considerada o maior problema da atividade pecuária no Brasil, atinge uma área de cerca de 70 milhões de hectares nas regiões Centro-Oeste e Norte do Brasil. A recuperação de pastagens degradadas tem sido apontada como a principal ação de modernização da pecuária bovina na Amazônia, porque permite a reutilização das áreas já desmatadas e que atualmente se encontram abandonadas ou subutilizadas, e dessa forma, promove ganhos de produtividade, reduz desmatamentos, aumenta o sequestro de carbono no solo, diminuí as emissões de gases de efeito estufa e torna a atividade mais sustentável.

O momento atual é muito oportuno para a recuperação desse enorme passivo de pastagens improdutivas e degradadas da Amazônia, devido aos diversos programas governamentais que estão em andamento (Mais Alimentos, Programa ABC, FNO, etc.) que estão proporcionando as condições necessárias para apoiar os investimentos em recuperação de pastagens degradadas na Amazônia, com financiamentos com taxas de juros reduzidas e maiores prazos para amortização.

 

Embrapa

Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close