Meio Ambiente

MMA promove debate sobre resíduos tóxicos

Participantes conhecerão possibilidades de descontaminação e eliminação dos poluentes, além de experiências internacionais.

 

Por: Rafaela Ribeiro – Editor: Marco Moreira

 

O Ministério do Meio Ambiente realiza, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), promove nas próximas terça e quarta-feira (21 e 22/07), no Hotel Gran Bittar, em Brasília, o encontro Técnicas e Tecnologias de Tratamento e Destinação Final de Bifenilas Policloradas (PCBs) e Outros Poluentes Orgânicos Persistentes (POPs).

O evento reunirá os setores público e privado, além de pesquisadores e organizações não governamentais interessados em melhorar a gestão, eliminação e processos de destinação de PCBs (substância química utilizada, principalmente, em equipamentos elétricos) e demais POPs, como aqueles que foram utilizados como agrotóxicos, além de prevenir riscos à saúde e ao meio ambiente associados a estes compostos.

DESCONTAMINAÇÃO

O encontro promoverá importante debate com vasta exposição das possibilidades de descontaminação e eliminação dos PCBs. Trará experiências de outros países da América Latina como, por exemplo, o México. “É uma grande oportunidade de ampliar conhecimentos e trocar experiências para seguirmos o nosso caminho de eliminar esses poluentes até 2028, como preconiza a Convenção de Estocolmo, da qual somos signatários”, explica a diretora de Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Letícia Carvalho.

O evento abordará técnicas de destruição e transformação irreversível (tratamentos químicos e térmicos), tratamentos de POPs em baixas concentrações, licenciamento e transporte desses compostos e outros aspectos relacionados a esses poluentes.

SAIBA MAIS

Por suas propriedades termicamente estáveis e de alta resistência elétrica, os PCBs compostos se tornaram amplamente usados como fluidos dielétricos em transformadores e capacitores, fluidos hidráulicos, retardadores de fogo e isolantes térmicos. Além disso, estão presentes em graxas, lubrificantes, tintas e pesticidas.

As bifelinas policloradas são classificadas como poluentes orgânicos persistentes (POPs), que se caracterizam pela alta persistência no meio ambiente, bioacumulação, capacidade de ser transportado a longas distâncias e efeitos adversos à saúde ou ao meio ambiente (PCBs são consideradas agentes carcinorgênicos).

Os POPs estão entre as substâncias mais perigosas que o mundo pretende eliminar. No Brasil, estima-se que ainda haja uma quantidade expressiva destas substâncias a serem eliminadas e que devido à má utilização ou gestão, podem ter sido lançados no meio ambiente.

 

Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA)

Vagner Liberato

Sobre o autor | Website

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Meio Ambiente Rio com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.