Meio Ambiente

10º Congresso Internacional de Bioenergia premia trabalho sobre sorgo sacarino

O trabalho “Perfil de acúmulo de sacarose, glicose e frutose ao longo do período de maturação para cultivares de sorgo sacarino”, de autoria da professora Gislaine Fernandes, foi agraciado com o prêmio “Destaque Trabalho Técnico 2015” no “10º Congresso Internacional de Bioenergia“. O evento aconteceu entre os dias 15 e 16 de julho de 2015, no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, em São Paulo.

A pesquisa foi coorientada pelo pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Rafael Augusto da Costa Parrela, e é parte da tese de doutorado que a professora concluiu no final de 2014. “Esta premiação é importante para a divulgação dos resultados de pesquisa das cultivares de sorgo sacarino da Embrapa e demonstra o potencial do sorgo para a produção de etanol”, ressalta Rafael Parrela, que integra a equipe do Núcleo de Recursos Genéticos da Embrapa Milho e Sorgo, de Sete Lagoas-Minas Gerais (MG). Gislaine Ferreira é professora no Instituto Federal de Ciencia e Tecnologia do Traingulo Mineiro, Campus Uberaba.

De acordo com o pesquisador Rafael Parrela, esta pesquisa teve o objetivo de identificar o Período de Utilização Industrial (PUI) do sorgo sacarino na região do Triângulo Mineiro. Os trabalhos foram realizados em Ituiutaba-MG, onde foi avaliado o perfil de acúmulo dos açúcares (sacarose, glicose, frutose) durante o período de maturação das cultivares BRS 506, BRS 508, BRS 509 E BRS 511 desenvolvidas pela Embrapa Milho e Sorgo.

“O PUI nos informa qual o período em que a cultura fica no campo, mantendo os níveis mínimos de produtividade e qualidade, com o intuito de se identificar o melhor momento para a colheita do sorgo sacarino, visando maximizar a produção de etanol”, explicou o pesquisador da Embrapa.

Adicionalmente, a pesquisa caracterizou o perfil de açúcares, ou seja, os tipos deles – glicose, frutose e sacarose – em cada época da colheita. “Foi verificado que, para essas cultivares de sorgo da Embrapa, houve maior concentração de teor de sacarose, muito semelhante ao percentual de sacarose da cana”, disse Parrela.

Ele salientou que o maior teor de sacarose identificado nessas cultivares de sorgo reflete um maior período de utilização industrial, e que isto é importante para o setor, pois o maior número de dias dá maior possibilidade para a colheita. “Para essas características é recomendado um PUI mínimo de 30 dias, e as cultivares da Embrapa alcançaram esses resultados. Isso foi uma observação relevante da pesquisa”, destacou Parrela.

De acordo com os organizadores, o Congresso Internacional de Bioenergia acontece em 2015 em sua 10ª Edição. O evento, considerado o mais importante fórum de discussões sobre energias renováveis do Brasil, tem o propósito de discutir o aproveitamento racional da biomassa, dos resíduos da indústria, da agricultura e lixo urbano, dos biocombustíveis/etanol e biodiesel, bem como estimular novas tecnologias como fontes de energias alternativas, colocando frente a frente técnicos e especialistas do Brasil e de outros países com interesse nesta tecnologia.

Sandra Brito (MG 06230 JP)
Embrapa Milho e Sorgo

Telefone: (31) 3027-1223

Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Artigos relacionados

1 thought on “10º Congresso Internacional de Bioenergia premia trabalho sobre sorgo sacarino”

  1. Boa noite!
    Fui aluno da Fundação Rodolf Fucks que tinha como referências o Abrigo Cristo Redentor, que tinha sob a sua jurisdição as Escolas Tecnica Darcy Vargas, Escola Típica Rural Cidade dos Meninos, em Duque de Caxias e por fim a Escola Sacra Família, em Santa Cruz/RJ. A Ilha da Marambaia é um paraíso por suas belezas que se constituem na fauna e flora. Você se refere sobre a passagem da Escola Técnica Darcy Vargas, (que só poderiam estudar quem eram filhos de pescadores) para a União, no caso da Marinha. Entretanto, o que de fato aconteceu foi que após a extinção da Escola Técnica Darcy Vargas, “Darcy Vargas” era o nome de uma das filhas do Presidente Getúlio Vargas, foi instalada a Escola Técnica, sendo que sem o critério de ser filho de pescadores, isso em 1965.
    Portanto, houve essa passagem, que fora omitida em seu relato, talvez pelas informações que lhes foram repassadas. Apenas esse reparo para que fique na ordem cronológica da historia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close