Projeto Campo Futuro da Aquicultura realiza ações em três estados

Polos de produção de pirarucu estão sendo inseridos no projeto
Polos de produção de pirarucu estão sendo inseridos no projeto
Avaliar postagem!

O Projeto Campo Futuro da Aquicultura continua suas viagens por diferentes polos produtivos brasileiros. Entre os dias 2 e 7 de agosto, serão realizados quatro painéis para levantamento de custos de produção. Desses, três são sobre carcinicultura (cultivo de camarões) e estão marcados para os municípios de Aracati e Acaraú, no Ceará, e Natal, no Rio Grande do Norte. O outro painel tratará de tilápia em tanque-rede e acontecerá no Açude Castanhão, município de Jaguaribara, no Ceará.

Nos levantamentos, estarão presentes Andrea Muñoz, Roberto Valladão e Fabrício Rezende, pesquisadores da Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas-TO), além de Lilian Figueiredo, assessora técnica de aquicultura da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). “Pela primeira vez, serão coletados custos de produção e caracterizadas as propriedades típicas de polos de carcinicultura (camarão), além de tilápia em tanque-rede”, explica Andrea, coordenadora do projeto pela Embrapa.

Duas semanas depois, entre 16 e 20 de agosto, haverá três painéis em Rondônia: dois sobre peixes redondos, em Ariquemes e em Pimenta Bueno; e um sobre pirarucu, também em Ariquemes. “Será a primeira vez em que polos de pirarucu serão pesquisados no projeto”, conta a pesquisadora. Nessa viagem a Rondônia, junto com Andrea estarão Fabrício e Ana Paula Rodrigues, também da Embrapa, além de Lilian, da CNA. Será a última viagem de 2015 do projeto.

Parceria – O Campo Futuro da Aquicultura é desenvolvido em conjunto pela Embrapa, pela CNA e por outros parceiros. Começou em 2014, quando houve oito painéis em três regiões brasileiras. A primeira foi o Tocantins, onde aconteceram painéis em Palmas e em Almas. No Mato Grosso, houve painéis em Alta Floresta, em Sorriso e em Cuiabá. E na região do Submédio São Francisco (estados da Bahia e de Pernambuco), os painéis foram em Jatobá, em Glória e em Paulo Afonso.

“Os polos já pesquisados continuarão sendo monitorados através da cotação mensal de custos de insumos e preços de mercado, sendo que os boletins dos painéis e os Ativos da Aquicultura serão divulgados através dos sites da CNA e da Embrapa”, afirma a pesquisadora Andrea.

Clenio Araujo (6279/MG)
Embrapa Pesca e Aquicultura

Telefone: (63) 3229-7836

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Written by Vagner Liberato

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro.
Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável.
Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer!

Para falar comigo, entre em contato pelo email:
contato@meioambienterio.com