Meio Ambiente

Embrapa Meio Ambiente apresenta software Aquisys na Agrifam

A Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP) participa da Agrifam 2015 – Feira da Agricultura Familiar e do Trabalho Rural, de 31de julho a 2 de agosto, em Lençóis Paulista, SP apresentando três tecnologias desenvolvidas para o agricultor familiar. A feira é organizada e realizada pela Fetaesp (Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de São Paulo).

A novidade desse ano é o software Aquisys v.1.3, sistema informatizado de apoio às boas práticas de manejo e gestão ambiental da aquicultura, desenvolvido para facilitar o acesso às informações, às orientações e a cálculos, com foco inicial na produção de tilápia em viveiro escavado; apresentando indicadores de manejo e de produção inclusive para tanque-rede. Esse sistema apoia a difusão de conhecimento e o uso de práticas mínimas que conduzam às boas práticas de manejo e à gestão ambiental da aquicultura à diferentes usuários.

Segundo a pesquisadora Maria Conceição Pessoa, que coordenou o desenvolvimento do software, a versão 1.3 apresenta significativas alterações de conteúdo, quando comparada à versão protótipo, proporcionada pelo processo de validação de conteúdo realizado junto aos produtores de tilápia de várias regiões brasileiras, como também por pesquisadores da área de aquicultura. Desse modo, facilita a disponibilização de conteúdo técnico gerado pela pesquisa para serem mais bem compreendidos e inseridos em práticas do sistema de produção. O sistema também disponibiliza informações gerais e sites de referência para que termos e aspectos normativos e legais da área de aquicultura possam ter acesso facilitado a diferentes públicos.

A versão 1.3 atende às principais demandas de produtores de tilápia, considerando características gerais do local de produção informadas via Internet pelo usuário. É um sistema indicador e não exclui a necessidade de acompanhamento local da propriedade por profissional habilitado para diagnósticos mais precisos. Participaram do desenvolvimento da versão 1.3 as Unidades: Meio Ambiente, Tabuleiro Costeiros, Agropecuária Oeste e Pesca e Aquicultura. A unidade da Apta envolvida no desenvolvimento foi a do Polo Regional Leste Paulista de Monte Alegre do Sul. Seu acesso é gratuito via Internet em www.cnpma.embrapa.br/aquisys , podendo ser acessado também por tablets e celulares.

Outra tecnologia a ser demonstrada na feira é o software Gotas, que oferece ao produtor rural vários parâmetros úteis para a tomada de decisão na calibração de pulverizadores agrícolas, sejam eles motorizados ou costais. O programa de computador auxilia o técnico ou produtor rural a calibrar a deposição de gotas durante as pulverizações dos produtos fitossanitários, para que sejam mais eficientes, garantindo que as quantidades adequadas alcancem os alvos biológicos e ainda evitando o desperdício de produtos. “Com a utilização das técnicas recomendadas pela Embrapa, o agricultor estará beneficiando sua propriedade, com a economia de recursos e insumos e também protegendo o meio ambiente”, ressalta o pesquisador da Embrapa Meio Ambiente Aldemir Chaim, um dos idealizadores do software, desenvolvido em parceria com a Embrapa Informática Agropecuária (Campinas, SP).

Também estará na feira o pulverizador eletrostático, desenvolvido em parceria com a Bell’s Indústria Eletrônica Ltda. A tecnologia utilizada caracteriza-se pela produção de gotas com cargas elétricas que sofrem forte atração pelas superfícies das plantas. São produtos inovadores que otimizam as aplicações de defensivos químicos ou biológicos na agricultura familiar brasileira, minimizando os custos de aplicação, aumentando a eficiência dos produtos e ajudando a proteger o meio ambiente.
Segundo Chaim, “a vantagem do uso dessa tecnologia é que reduzem o uso de agrotóxicos, químicos ou biológicos, devido ao aumento da eficiência do sistema de aplicação, com melhor deposição das gotas sobre os alvos biológicos”. Esses equipamentos, continua ele, “têm a capacidade de produzir gotas de pulverização com carga elétrica inversa à carga das plantas (que atuam como se fossem um para-raios), possibilitando assim uma maior atração e melhor deposição de gotas nos locais específicos das plantas, minimizando as derivas e o atingimento de organismos não-alvos”. O pesquisador informa que na pulverização convencional apenas 30% do produto aplicado se depositam nas plantas, enquanto que na pulverização eletrostática a deposição pode atingir 70% do agrotóxico aplicado.

Cristina Tordin (MTB 28499)
Embrapa Meio Ambiente

Telefone: 19 3311 2608

Sobre o autor | Website

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Meio Ambiente Rio com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.