Meio Ambiente

Brasil e França apresentam resultados de parceria em monitoramento de grandes rios por satélite

A Agência Nacional de Águas (ANA) e o Instituto de Pesquisa para o Desenvolvimento (IRD), da França, promovem nesta terça-feira, 18 de agosto, o 2º Seminário sobre Monitoramento Espacial Hidrológico em Grandes Bacias. O evento acontece no Auditório Flávio Terra Barth, na sede da ANA, para apresentar os resultados técnicos do projeto de Monitoramento Espacial Hidrológico em Grandes Bacias (MEG-HIBAM). Além da hidrologia espacial, serão apresentados resultados da parceria nas áreas de qualidade de água e análise de sedimentos.

 

Durante a mesa de abertura, o diretor-presidente da ANA, Vicente Andreu, falou sobre a intenção de estender a parceria da Agência com o IRD em hidrologia espacial, que já tem 13 anos. Em seu discurso na abertura do encontro, o superintendente de Gestão da Rede Hidrometeorológica da ANA, Valdemar Guimarães, apontou a importância do monitoramento para a gestão de recursos hídricos. “O monitoramento gera os dados. E sem os dados é impossível fazer a gestão”, conclui. Também participou da abertura Jean-Michel Martinez, representante do IRD no Brasil.

 

Na primeira parte do evento, há mesas sobre técnicas de altimetria aplicada ao monitoramento de rios e sensoriamento remoto para determinação de processos sedimentares em rios e reservatórios. Na segunda parte do evento, outros três temas serão debatidos: monitoramento da qualidade da água; processamento e disponibilização de dados; e projetos de pesquisa e inovação em hidrologia espacial.

 

O evento deste ano dá continuidade ao evento realizado em 25 de julho de 2012, quando a ANA e o IRD apresentaram os resultados de 2009 a 2011 do Projeto Hidrologia Espacial Aplicada à Bacia Amazônica para a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e entidades parceiras, como o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), Agência Espacial Brasileira (AEB), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

 

MEG-HIBAM

 

Realizado de janeiro de 2009 a dezembro de 2014, o projeto MEG-HIBAM buscou usar dados de satélite para produção de informações hidrológicas. O trabalho também visou a desenvolver ferramentas para permitir o processamento de dados espaciais por usuários ou de modo automatizado.

 

Durante a parceria, os técnicos do IRD transferiram conhecimentos para a ANA em duas técnicas: monitoramento de parâmetros de qualidade das águas por imagens de satélite MODIS e altimetria para o monitoramento do nível dos rios e lagos. Estas técnicas foram aplicadas de forma integrada com as redes convencionais de monitoramento já utilizadas pela Agência na Rede Hidrometeorológica Nacional, que possui mais de 4,5 mil estações pelo Brasil.

Texto:Raylton Alves – Ascom/ANA

Foto: Raylton Alves – Ascom/ANA

 

Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close