Meio Ambiente

Alto Atibaia e Baixo Atibaia entram em Estado de Alerta

Nesta quinta-feira, 20 de agosto, duas bacias sujeitas a regras de restrição de vazão nas bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ) entraram em Estado de Alerta: Alto Atibaia e Baixo Atibaia. As duas se juntaram à bacia do Jaguari (trecho paulista), onde os usuários devem ficar atentos para a proximidade de uma restrição, caso a vazão dos rios continue caindo. Desde o dia 18 de agosto, as captações da bacia do Camanducaia já estão sob restrição. Apenas a bacia do Jaguari (trecho mineiro) e a região Montante Cantareira seguem sem restrição ou alerta. Clique aqui para saber mais sobre a restrição.

 

No Alto Atibaia, foi registrada uma vazão média de 4,9m³/s nos últimos dias. Na região, o Estado de Alerta acontece quando a vazão do rio Atibaia fica acima de 4m³/s e abaixo de 5m³/s no ponto de monitoramento Captação Valinhos. Até 4m³/s, acontece o Estado de Restrição, que requer a redução de 20% para captações para abastecimento e para matar a sede de animais. Neste tipo de situação, as retiradas pra irrigação e indústria devem cair 30% e os demais usos não podem captar durante a restrição, segundo a Resolução Conjunta ANA/DAEE nº 50/2015.

 

No Baixo Atibaia, a vazão média nos últimos dias foi de 3,85m³/s. Na região, o Estado de Alerta acontece quando a vazão do rio Atibaia fica acima de 3,5m³/s e abaixo de 5m³/s no ponto de monitoramento Acima de Paulínia. Até 3,5m³/s, acontece o Estado de Restrição.

 

Outra bacia em Estado de Alerta é a do trecho paulista do rio Jaguari. Nela foi registrada a vazão média de 4,62m³/s nos últimos dias. O alerta acontece nesta região quando a vazão fica acima de 2m³/s e abaixo de 5m³/s no ponto de monitoramento Foz. A restrição acontece quando o rio Jaguari registra até 2m³/s.

 

Apesar de a vazão média ter subido de 1,32m³/s para 1,44m³/s entre segunda e hoje no ponto de monitoramento Dal Bo, a bacia do rio Camanducaia permanece em Estado de Restrição. Para que os usuários possam voltar a captar água normalmente, a vazão deverá ser maior do que 1,5m³/s.

 

Nos trechos Montante Cantareira e Jaguari (trecho mineiro), as vazões médias caíram de 4,76m³/s para 4,6m³/s no ponto de monitoramento Pires, no rio Jaguari. Com isso, as regiões se aproximaram mais do Estado de Alerta: acima de 2m³/s e abaixo de 4m³/s. No caso do Jaguari, a Resolução Conjunta ANA/IGAM nº 51/2015 estabelece as regras de alerta e restrição.

 

Clique aqui para saber quais os municípios estão em restrição, alerta ou sem restrição por bacia.

 

Texto:Raylton Alves – Ascom/ANA

 

Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro.
Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável.
Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer!

Para falar comigo, entre em contato pelo email:
contato@meioambienterio.com

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker