tintas ecológicas / foto: pexels

Pintar a sua casa pode ser um dos mais grandes prazeres. Quando você pensa no visual de sua casa e a torna realidade, a sensação é indescritível e única, mas se além de dar às suas paredes um grande estilo, você ajuda o planeta fazendo isso, que melhor!

Para isso existe a tinta ecológica, uma alternativa à cor que você amará não só por sua qualidade, mas também porque ela lhe permite ajudar o planeta desde a sua criação até o seu uso nas paredes de sua casa. Entretanto, poucas pessoas estão cientes da existência desta tinta, uma vez que é relativamente nova ou pouco comum. Além disso, a tinta não é muito barata e a tinta ecológica é ainda mais cara, mas asseguramos que é um investimento que vale a pena fazer, pois é duradoura e benéfica em muitos aspectos. Decore a sua casa para que continue sendo um lugar ideal para se divertir jogando no Bizzo cassino Brasil online.

Mas o que é tinta ecologicamente correta?

A tinta ecológica difere das tintas convencionais de várias maneiras, mas a mais importante é que este tipo de tinta é composto de matérias primas de origem vegetal e/ou mineral, por isso carece de substâncias nocivas, tais como biocidas e plastificantes. Isto significa que a tinta tem muito pouco impacto no planeta, ao contrário das tintas sintéticas, que são baseadas em derivados de petróleo.

Além disso, as tintas sintéticas liberam toxinas que eventualmente danificam os pulmões e outros órgãos, bem como o ambiente natural. Por este motivo, é melhor aplicar este tipo de tinta nas paredes, de preferência. Embora possam ser usados em móveis, tetos e até mesmo pisos, mas sempre procure uma tinta especial para sua casa.

Como é feita a pintura ecológica?

As tintas ecológicas, como dissemos anteriormente, não possuem tantos elementos químicos e são substituídas por ingredientes de origem animal ou vegetal, como resinas, óleos e até mesmo mel. O procedimento é quase o mesmo, mas a tinta ecológica contém menos COVs (compostos orgânicos voláteis) que são prejudiciais à saúde e ao planeta. Deve-se notar que as tintas à base de água não são tão ecológicas, mas não são tão nocivas quanto as tintas 100% sintéticas.

A verdade é que eles não são ecologicamente corretos ou não são assim chamados, portanto você pode ter certeza de que são funcionais, mas o mundo lhe agradecerá mais se você os evitar o máximo possível. A tinta verde passa por processos químicos de baixo impacto que são úteis para sua durabilidade, mas não são tão perigosos quanto a tinta convencional.

Que tipo de tinta ecológica existe?

Existem várias marcas no mercado que se dedicam a criar tintas ecológicas e há também produtores individuais ou aqueles que as fabricam à mão. Portanto, o “espectro” das tintas ecológicas varia desde aquelas que são fabricadas exatamente da mesma forma que as tintas convencionais, mas com uma redução considerável de COVs, até as tintas ecológicas do tipo totalmente artesanal, que são feitas de cal, silicato ou argila.

Há também produtos como vernizes e vernizes utilizados principalmente em carpintaria. Estes são feitos com óleos naturais e resinas, destacando-se entre os sintéticos.

Quais são as características da tinta ecológica?

Antes de tudo, deve-se observar que a tinta ecológica é feita principalmente dos três materiais mencionados acima: cal, silicato e argila.

Cal

Este produto químico é normalmente utilizado em tintas convencionais, mas em tintas orgânicas melhora os aditivos, pois é misturado com resinas naturais. É utilizado em paredes e tetos, pois é resistente a mudanças de temperatura e clima.

Silicato

Sendo uma fórmula natural, esta tinta ecológica data de há mais de 100 anos. É por isso que é sem dúvida a mais resistente, ainda mais do que as tintas convencionais. A sua durabilidade é tão alta quanto o seu custo, mas isto se deve ao fato de que, com o passar do tempo, penetra na parede e está profundamente impregnada.

Argila

A tinta ecológica feita de argila é um pouco menos resistente do que aquela feita de cal. Por esta razão, é freqüentemente utilizado para reparos, pois não modifica a cor, portanto, não é ideal para colorir grandes espaços, pois não é tão poderoso (visualmente) quanto se esperava, mas é forte.