Para resolver o enigma das galáxias satélites faltantes da Via Láctea, astrônomos internacionais utilizaram dados do Hyper Suprime-Cam (HSC) Subaru Strategic Program (SSP) e encontraram dois novos candidatos a galáxias satélites.

A Via Láctea, nossa galáxia, possui galáxias menores orbitando-a, conhecidas como galáxias satélites. Estudar essas galáxias satélites pode ajudar os pesquisadores a desvendar mistérios sobre a matéria escura e compreender melhor como as galáxias evoluem ao longo do tempo.

“Quantas galáxias satélites a Via Láctea possui? Esta tem sido uma pergunta importante para os astrônomos há décadas”, comentou Masahi Chiba, professor da Universidade de Tohoku.

O time de pesquisa reconheceu a possibilidade de existirem muitas galáxias anãs não descobertas, que estão longe e são difíceis de detectar. O telescópio Subaru, situado no topo de uma montanha isolada acima das nuvens no Havaí, tem se mostrado eficiente para encontrar essas galáxias. De fato, anteriormente, este mesmo time descobriu três novas galáxias anãs utilizando o telescópio Subaru.

Agora, o time descobriu mais duas novas galáxias anãs (Virgo III e Sextans II). Com esta descoberta, um total de nove galáxias satélites foram encontradas por diferentes equipes de pesquisa. No entanto, isso ainda é muito menos do que as 220 galáxias satélites previstas pela teoria padrão da matéria escura.

Entretanto, a área observada pelo HSC-SSP não cobre toda a Via Láctea. Se a distribuição dessas nove galáxias satélites por toda a Via Láctea for semelhante ao que foi encontrado na área capturada pelo HSC-SSP, a equipe de pesquisa calcula que pode haver aproximadamente 500 galáxias satélites. Agora, nos deparamos com um “problema de muitas satélites”, ao invés de um “problema de satélites faltantes”.

Para caracterizar melhor a quantidade real de galáxias satélites, são necessárias mais imagens de alta resolução e análises. “O próximo passo é utilizar um telescópio mais potente que capture uma visão mais ampla do céu”, explica Chiba. “No próximo ano, o Observatório Vera C. Rubin, no Chile, será usado para esse fim. Espero que muitas novas galáxias satélites sejam descobertas.”

Fonte: Astronomers discover two new Milky Way satellite galaxy candidates by Tohoku University, publicado em 8 de junho de 2024 na Publications of the Astronomical Society of Japan.

Sem avaliações ainda