continua após a publicidade

Uma casa, roupa, calçado, são coisas úteis, necessárias para enfrentar os aspectos menos amigáveis ​​do planeta que habitamos. Dormir ao ar livre, receber as intempéries com a pele nua e caminhar em terrenos acidentados com nada mais do que a pele das solas dos pés não é algo muito atraente ou positivo para a sobrevivência a longo prazo. Nossos ancestrais descobriram isso, aos poucos e através da experiência. As cavernas, troncos e galhos serviram de primeiras casas. As peles dos animais caçados, aparentemente mais bem feitas para resistir à nossa estrela amarela e ao frio inclemente, serviram e tornaram-se as primeiras roupas. Não se tratava de se exibir ou aparecer. Foram habitados espaços que proporcionavam segurança, algum aconchego e onde se podia descansar. Vestiam o necessário para cuidar do corpo e da saúde, enfim, para sobreviver. 

Depois de milhares de anos deixando vestígios no planeta, as coisas tiveram necessariamente que mudar. Muitas pessoas deixaram de ser nômades, e isso exigiu, por exemplo, melhorias na construção, inovações que permitissem não só o caráter habitável de uma casa, mas também a sua permanência, a sua resistência. As roupas também evoluíram e, em algum momento da história, nossos ancestrais começaram a usar roupas, não apenas para proteger o corpo, mas para vesti-lo, para parecer e ser atraente aos olhos dos outros. Mesmo nas vestimentas de guerra, é impossível não notar que havia uma preocupação estética aliada ao objetivo de preservação. No início era muito comum andar descalço e usar calçado apenas para casos extremos como sair daqueles primeiros casas.

O calçado deve destacar a figura e o estilo

Pensando de forma prática, em um dia quente, sob um sol agressivo, bastaria usar roupas leves e leves. Com a mesma mentalidade, no inverno procuraríamos qualquer peça de roupa grossa que lembrasse pele de animal. Se pararmos de sentir frio ou pelo menos suavizá-lo, tudo ficará bem. Mas não pensamos mais assim, não apenas assim. Procuramos roupas que embelezam o nosso físico, que nos façam sentir mais bonitas e confiantes. Não basta cobrir os pés para superar qualquer tipo de terreno com o menor dano possível aos dedos e plantas dos pés. Não, os sapatos devem combinar com a roupa, devem realçar a figura e o estilo. E porque não? Não somos apenas seres que procuram sobreviver. Na nossa jornada por esta vida, também buscamos a beleza, inventamos e exibimos. Os pássaros têm penas coloridas. Nós nos vestimos com vestidos e sapatos espetaculares para ficarmos fabulosos. Ainda adaptamos nossas roupas às estações, mas não é estranho ver mais de uma garota passando em pleno verão, quando é mais fácil encontrar bota feminina cano longo em promoção, em minissaia ou calça, e também cobrindo suas extremidades inferiores com duas botas. Não é apenas o que é útil que importa, não mais. Podemos nos proteger dos ataques da natureza e também ter uma aparência majestosa e brilhante. A utilidade de algo não precisa ser oposta à beleza desse algo. É mais difícil e caro embelezar uma casa. Felizmente, temos mais opções e mais acesso para enfeitar o corpo e os pés.

continua após a publicidade