Reprodução/ Ministério da Saúde

O Brasil ultrapassou a marca de 6 milhões de casos de dengue confirmados em 2024, segundo o último levantamento do Ministério da Saúde. O número representa um aumento drástico em relação ao ano anterior, quando foram registrados pouco mais de 1,6 milhão de casos. Este crescimento alarmante da dengue ressalta a gravidade da situação da saúde pública no país, especialmente diante do aumento de 71% nas mortes causadas pela doença no primeiro semestre deste ano.

Pico de Casos em Março e Abril

A análise dos dados mostra que a transmissão da dengue alcançou seu ponto mais alto em março de 2024, com mais de 1,6 milhão de casos registrados. O mês de abril também manteve uma incidência elevada, com mais de 1,5 milhão de casos. A partir de maio, houve uma desaceleração na transmissão, mas ainda assim foram confirmados cerca de 960 mil casos no mês.

Apesar dessa queda nos últimos meses, o impacto da dengue continua a ser devastador. Até junho, o Brasil já contabilizava 4.000 mortes pela doença, em comparação com 1.179 óbitos durante todo o ano de 2023. Este aumento preocupante evidencia a necessidade urgente de medidas de controle e prevenção mais eficazes.

Demografia dos Casos

Entre os afetados, as mulheres são ligeiramente mais numerosas, representando 54,9% dos casos prováveis, enquanto os homens correspondem a 45,1%. A faixa etária mais impactada está entre 20 e 49 anos, que concentra quase metade dos casos, com mais de 2,9 milhões de registros.

Os jovens adultos, especialmente aqueles entre 20 e 29 anos, são os mais atingidos, somando mais de 1 milhão de casos. Em seguida, vem a faixa dos 30 aos 39 anos, com 900 mil registros.

A distribuição dos casos também revela diferenças significativas entre as etnias: brancos somam 49,5% dos casos, seguidos por pardos com 42,6%, pretos com 6,3%, amarelos com 1,3% e indígenas com 0,3%.

Impacto Regional

Regionalmente, o Sudeste é a área mais afetada, com mais de 3,8 milhões de casos de dengue. O Sul segue com pouco mais de 1,1 milhão, enquanto o Centro-Oeste tem 600 mil registros. As regiões Nordeste e Norte apresentam 321 mil e 48 mil casos, respectivamente.

Mesmo com alguns estados, como Rio de Janeiro e Minas Gerais, declarando o fim da epidemia, a dengue continua a ser uma ameaça em grande parte do país. São Paulo se destaca como o estado com o maior número de mortes, contabilizando mais de 1.100 óbitos, o que representa cerca de 25% do total nacional. Além disso, São Paulo tem o segundo maior número de notificações, com 1,8 milhão de casos, ficando atrás apenas de Minas Gerais, que registra 1,6 milhão de casos.

Conclusão e Medidas Necessárias

O aumento vertiginoso de casos e mortes por dengue em 2024 sublinha a urgência de fortalecer as estratégias de combate à doença. Medidas como a eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti, a promoção de campanhas de conscientização pública e a melhoria das condições de saneamento básico são fundamentais para conter a disseminação da dengue.

Enquanto o Brasil luta contra essa grave crise de saúde pública, a vigilância contínua e a ação coordenada entre os governos federal, estadual e municipal serão essenciais para reduzir a incidência da dengue e proteger a saúde da população.

Fonte: Ministério da Saúde do Brasil.

5/5