Por Sandy Oliveira

São Paulo, 10/11/2022 – A BRF registrou prejuízo líquido de R$ 137 milhões no terceiro trimestre deste ano. O resultado representa uma melhora de 49,5% em relação ao prejuízo de R$ 271 milhões verificado em igual período de 2021. A receita líquida proveniente das vendas da companhia no período somou R$ 14,056 bilhões, aumento de 13,4% sobre os R$ 12,390 bilhões do terceiro trimestre de 2021. Segundo a BRF, apesar do prejuízo líquido há melhora em relação aos dois últimos trimestres de 2022, informou ontem (9) a empresa, em relatório divulgado após o fechamento do mercado.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da BRF no terceiro trimestre do ano alcançou R$ 1,4 bilhão, avanço de 0,5% sobre o R$ 1,367 bilhão do mesmo intervalo do ano anterior. A margem Ebitda ajustada da BRF foi de 9,8%, ante 11% em igual trimestre do ano passado.

O fluxo de caixa operacional foi de R$ 1,3 bilhão. Em nota, a companhia diz que apresentou melhora de R$ 415 milhões no fluxo de caixa livre, excluindo efeitos cambiais. A liquidez disponível está acima de R$ 12 bilhões, sendo R$ 9,3 bilhões em caixa.

A companhia encerrou o trimestre com aumento de 6,5% no índice de alavancagem em comparação com o terceiro trimestre de 2021, passando de 3,06 vezes para 3,26 vezes. A dívida líquida da empresa ficou em R$ 14,830 bilhões, queda de 11,1% sobre os R$ 16,682 bilhões de igual período de 2021.

No terceiro trimestre do ano, a BRF comercializou 1,191 milhão de toneladas de produtos, um avanço de 1,9% em comparação com o 1,168 milhão de toneladas de um ano antes. A empresa informou ainda um consumo de caixa de R$ 226 milhões no período, ante consumo de R$ 308 milhões do terceiro trimestre do ano anterior.

No segmento Brasil, a BRF teve receita operacional líquida de R$ 6,8 bilhões no terceiro trimestre, aumento de 7,9% em comparação com igual intervalo do ano passado. A companhia destaca melhora de performance com ganhos de participação de mercado em margarinas, frios e embutidos. O Ebitda ajustado somou R$ 458 milhões no período, queda de 47,8% na comparação anual, mas alta de 15% na comparação com o segundo trimestre.

Já no segmento internacional, a receita líquida foi de R$ 6,54 bilhões, alta de 20% sobre o período de julho a setembro de 2021. A BRF destacou o incremento de receita líquida de 7,4% ante o terceiro trimestre de 2021 e de 14,9% ante o trimestre anterior, além de aumento de margens para as exportações realizadas para a China, Japão e Coreia do Sul. No mercado halal, principalmente na região do Golfo, a participação de itens de valor agregado alcançou 21% do volume vendido.

Os segmentos de Ingredients e Pet Food da companhia apresentaram crescimento e responderam por uma receita conjunta de R$ 684 milhões. No mercado pet, a BRF avançou com o plano de integração e na captura de sinergias entre as operações adquiridas em 2021.

O CEO da BRF, Miguel Gularte, afirmou em entrevista que o resultado do trimestre demonstra melhora em relação aos resultados anteriores. “Estamos trabalhando para estabelecer estratégias. Precisamos de tempo para fazer acontecer, mas estamos junto ao time para fazer e, consequentemente, ter melhora nos resultados”, disse. Segundo Gularte, a preferência pelas marcas da companhia precisam ser transformadas em share.