Líderes mundiais e centenas de companhias estão reunidos na COP 27, conferência do clima da Organização das Nações Unidas, que ocorre até 18 de novembro, em Sharm El-Sheikh, no Egito. A BRK, uma das principais empresas de saneamento do país, participa de dois fóruns no evento mundial mais importante sobre os desafios climáticos.

Nesta quarta, 16 de novembro, a CEO Teresa Vernaglia liderará o debate “Emissões azuis e o potencial da economia azul” e comentará a primeira emissão de debêntures desta categoria no Brasil, feita recentemente pela BRK. A operação também é pioneira tanto na América Latina quanto à mercado no setor de saneamento no mundo.

O painel girará em torno de como a economia sustentável pode ser um motor para o desenvolvimento do país e da região, as iniciativas e práticas do setor privado para promovê-lo e os desafios atuais. Contará com Tom Eveson, VP da Sustainalytics, Gustavo Montezano, presidente do BNDES e a moderação de Gabriella Dorlhia, diretora executiva do ICC Brasil.

“É muito importante o saneamento marcar presença em um evento que traz discussões imprescindíveis para as questões climáticas mundiais. A BRK tem um forte compromisso com a sustentabilidade e, dentre as nossas metas de ESG, está a de zerar as emissões líquidas de gases de efeito estufa até 2040. Ações como essas, aliadas às debêntures azuis, buscam gerar avanços concretos na agenda ambiental do país”, diz a CEO”, diz a CEO.

Em 14 de novembro, a executiva integrou o painel “Resiliência hídrica e adaptação climática: risco hídrico e impacto financeiro, incluindo cadeia de valor”, promovido pelo Pacto Global — Rede Brasil, do qual a executiva é porta-voz.

Os demais participantes foram Andre Ferretti, gerente da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, Cristiano Teixeira, diretor geral da Klabin, e David Canasa, CEO do Reservas Votorantim. A mediação foi de Cheryl Hicks, consultora sênior do Water Resilience Coalition, que também promoveu o painel.

Benefícios na prática 

As debêntures azuis, ou blue bonds, são papéis de dívida emitidos especificamente para financiar projetos com benefícios ambientais ligados à preservação de recursos hídricos. A operação da BRK, anunciada no último dia 9/11, totalizou a emissão em R$ 1,95 bilhão em debêntures azuis com prazo de 20 anos.

Os recursos serão utilizados para a universalização do abastecimento de água e do tratamento de esgoto de Maceió e arredores, abrangendo ao todo 13 cidades em que a companhia atua. Beneficiarão, desta forma, mais de 1,5 milhão de pessoas na região.