O calor escaldante e a umidade elevada estão dominando o centro e o nordeste dos Estados Unidos, com temperaturas recordes esperadas nos próximos dias, alertaram as autoridades. Enquanto isso, incêndios florestais preocupam no oeste do país.

Segundo o Serviço Meteorológico Nacional, uma onda de calor persistirá nos Grandes Lagos, Vale do Ohio e Nordeste, marcando uma chegada precoce e perigosa do verão. Previsões indicam que partes da Nova Inglaterra podem atingir até 38 graus Celsius na quinta-feira, com potencial para quebra de recordes.

Em Chicago, o calor intenso e prolongado não era visto desde 1933, de acordo com o escritório do climatologista do estado de Illinois. Centros de resfriamento comunitários foram abertos para ajudar os residentes sem ar condicionado.

A comunidade científica global concorda que as mudanças climáticas causadas pelo homem estão acelerando o aquecimento do planeta, exacerbando eventos meteorológicos extremos, inundações e secas, além do derretimento de glaciares e aumento do nível do mar.

O ano de 2023 foi o mais quente já registrado, conforme o monitor climático da União Europeia, Copernicus, destacou.

Enquanto enfrentam o calor intenso, grupos ambientais e de saúde pedem à administração Biden que libere fundos federais de emergência para lidar com o calor extremo e os incêndios florestais. Até o momento, esses eventos não foram designados como catástrofes elegíveis para assistência pela Agência Federal de Gestão de Emergências (FEMA).

Na Costa Leste, os residentes se preparam para um calor intenso, enquanto na Califórnia os bombeiros combatem um grande incêndio florestal. Em Ruidoso, Novo México, 7.000 moradores foram evacuados devido a um incêndio que continua fora de controle.

Fonte: Google News

Sem avaliações ainda