João Marques da Cruz, CEO da EDP no Brasil, diz que uma governança robusta é a garantia de defesa dos interesses dos pequenos acionistas. Foto: Divulgação EDP Brasil
João Marques da Cruz, CEO da EDP no Brasil, diz que uma governança robusta é a garantia de defesa dos interesses dos pequenos acionistas. Foto: Divulgação EDP Brasil

O presidente da EDP no Brasil, João Marques da Cruz, acredita que o mercado brasileiro seguirá a tendência global de liberalização, o que exigirá adaptação de todas as empresas do setor e gerará oportunidades para diversos modelos de negócio. A declaração aconteceu durante o painel CEO Energy, da Rio Innovation Week, mais completo encontro de inovação e tecnologia da América Latina, encerrado neste domingo.

Para o executivo, em meio a essa progressiva abertura, a inovação será fundamental para o futuro dos negócios. “Por meio dela, conseguimos nos adaptar a um novo ambiente de negócios, mais competitivo, e criar modelos para ofertar soluções mais sustentáveis e limpas”, afirmou João Marques da Cruz. O executivo também apontou a descentralização como uma das principais tendências do setor para os próximos anos. “Caminhamos para a descentralização da produção e ampliação da participação de novas fontes, como a solar. A matriz energética precisa se adaptar ao novo contexto mundial. Através da inovação podemos encontrar novas formas de geração e armazenamento de energia e de gerar valor para a sociedade”, disse. O CEO da EDP ainda destacou a necessidade de investimento em uma infraestrutura robusta de transmissão de energia para garantir que a energia gerada pelas novas fontes renováveis consiga chegar a todo o território num país de dimensões continentais como o Brasil.

João Marques da Cruz abordou a importância de avançar na agenda da transição energética diante do ganho crescente de relevância da pauta ESG diante dos investidores e sociedade. Para o presidente da EDP no Brasil, é preciso pensar estrategicamente e colocar em prática ações dessa agenda. “A importância do ESG é real. A responsabilidade com o meio ambiente, com a sociedade, com as pessoas e com a sua diversidade deve pautar os negócios, gerando valor para todas as partes envolvidas”, complementou.

Em 2021, pelo segundo ano seguido, a EDP foi a considerada empresa do setor elétrico mais engajada com o ecossistema de Inovação no Brasil pela plataforma 100 Open Startups. Também criou o primeiro veículo de corporate venture capital do segmento, a EDP Ventures Brasil. A Companhia ocupa também o primeiro lugar no ranking geral do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3, mais respeitado índice de ESG do mercado de capitais brasileiro.

Gostou dessas dicas? Se sim, compartilhe com seus familiares e amigos, e também em suas redes sociais. Receba conteúdo gratuito, diariamente, e siga-nos no Google News.